Carolina Maria de Jesus | Brasil

Carolina Maria de Jesus | Brasil


Ao falar do Brasil, para quem não é daqui, logo vem a associação com samba, futebol, praia e carnaval. Até confundem nossa capital com Buenos Aires! Mas, a partir deste ano, voltamos ao cenário internacional e, mesmo quem já vive no país, verá muitos “Brasis” dentro de um Brasil nunca visto antes.

País de dimensões continentais, com diversidade de fauna e flora invejáveis, abriga múltiplas culturas e também outros povos. Somos um país de contrastes, sempre houve e ainda há muita desigualdade social, que se acentuou mais ainda durante a pandemia do Covid. Mas aqui a intenção é destacarmos alguns aspectos que fazem do Brasil uma terra maravilhosa. Como seus 7.367 km de litoral, com uma área de 334 milhões (!) de hectares de floresta amazônica e com 138.183 km² de pantanal, o Brasil é um dos mais ricos biomas mundiais o que faz nosso país ser invejado e cobiçado pelo mundo todo.

Mas nem só de belezas naturais o país é feito. Temos as cidades históricas de Minas Gerais, os centros históricos de Salvador, Olinda, Rio de Janeiro, entre outros e aqui no Paraná, as exuberantes Cataratas do Iguaçu.

O país consagrou-se mundialmente na música e na literatura com Tom Jobim e Vinicius de Moraes, Machado de Assis, Jorge Amado e Clarice Lispector.

A escritora Carolina Maria de Jesus estampa nossa agenda de 2023, em março. Lembrando que o seu Quarto de Despejo será novamente leitura obrigatória para o vestibular UFPR 2024. Quem foi essa mulher? Por que a escolhemos?

Sobre a escritora:

Escritora, poetisa e compositora brasileira que estudou só até a segunda série do antigo ginasial. Origem humilde, filha de pais analfabetos, foi matriculada na infância no Colégio Allan Kardec, em Sacramento (MG), baseada nos fundamentos da pedagogia espírita.

Ao vir para São Paulo, viveu grande parte de sua vida na favela do Canindé, na zona norte, onde criou sozinha seus três filhos. Carolina era lavadeira e catadora de papel e recicláveis. Seu diferencial é que da sua ocupação de catadora, recolhia e guardava as revistas que encontrava para ler. O gosto pela leitura a fez ser quem é e descobrir sua vocação de escritora.

Autodidata, publicou seu primeiro livro aos 44 anos. A escrita tornou-se um verdadeiro instrumento de denúncia social, confrontando a doutrina da tradição literária.

Carolina Maria de Jesus foi considerada: “uma escritora direta, nua e crua, mas, ao mesmo tempo, suave”. A escritora Clarice Lispector chegou a defini-la como “uma escritora de verdade, que conta a realidade”.


PRINCIPAIS OBRAS:

Quarto de Despejo (1960)
Casa de Alvenaria (1961)
Pedaços de Fome (1963)
Provérbios (1963)
Diário de Bitita (1977)
Um Brasil para Brasileiros (1982)

Carolina foi publicada em mais de 40 países e traduzida para 14 línguas. Saiba mais sobre a sua consagrada obra Quarto de despejo.

Quarto de despejo: Diário de uma Favelada são as memórias de Carolina, publicadas em 1960, colocando-a no status de uma das primeiras negras a ter um livro no Brasil. A publicação foi um sucesso traduzido em 14 idiomas. Sua marca registrada é a coloquialidade. A forma com que apresenta as situações-limites da favela torna seus textos algo duro e incômodo ao leitor daquela época, pois retrata pessoas ignoradas e/ou invisibilizadas socialmente. Outra característica é a atemporalidade textual. Clique aqui e saiba mais.


DICAS PARA TRABALHO EM SALA DE AULA:

As nossas riquezas podem ser trabalhadas em várias disciplinas da Base Comum. Listamos abaixo algumas sugestões que podem enriquecer o trabalho em sala de aula, destacando aspectos do nosso estado.

>> História

Guerra do Contestado 

A Guerra do Contestado foi um conflito armado, que ocorreu na região sul do Brasil – fronteira do Paraná e Santa Catarina -, entre os anos de 1912 e 1916.

Envolveu aproximadamente 20 mil camponeses no enfrentamento com as forças militares dos poderes federal e estadual.

Perdas de terras e desemprego, entre outros agravantes motivaram os conflitos. A tratativa de como o governo e os políticos entrelaçaram as questões sociais no início da República é uma reflexão para a atualidade. Envolvem interesses? Existe negociação e de que maneira? (Clique aqui e saiba mais).

>> Geografia / História

Parque Estadual de Vila Velha

É um sítio geológico localizado em Ponta Grossa. São mais de 3 mil hectares e diversas atrações como os arenitos, furnas e a Lagoa Dourada. 

Foi o primeiro Parque Estadual criado no Paraná, em 1953. Em 1966, foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Estado.

Hoje é administrado por uma empresa 100% brasileira para preservar o paraíso ecológico que se destaca como importante unidade de conservação ambiental (Clique aqui e saiba mais).

Cataratas do Iguaçu

O famoso roteiro turístico, localizado na fronteira do Brasil e Argentina, é formado por 275 cachoeiras – quedas d ‘água.

As Cataratas, inseridas no Parque Nacional do Iguaçu, são alimentadas pelas águas do Rio Iguaçu, que se estendem por 2,7 quilômetros e têm entre 60 e 82 metros de altura de queda.

Em 1986, foram elencadas como Patrimônio Mundial pela Unesco. Em 2012, encabeçaram a lista das Sete Maravilhas da Natureza.

Curiosidades (Clique aqui e saiba mais):

  • Sua nomenclatura deriva-se do tupi-guarani, e significa “água grande” (”rio grande”).
  • As Cataratas são importantes para a manutenção da biodiversidade, economia local e cultural contada pelo folclore brasileiro.
  • A fauna do Parque Nacional do Iguaçu é composta por mais de 1500 espécies de animais.

>> Educação Física

O futebol é sem dúvida o esporte mais popular do Brasil. Trabalhar um pouco com sua história pode ser uma grande fonte de curiosidades. O Paraná tem dois dos clubes mais antigos do país. (Confira alguns links aqui: Centro de Memória do Esporte Paranaense , 60 clubes mais antigos do Brasil, Exposição os Craques de Bola).

Das touradas à ginástica olímpica e aos mega eventos esportivos, a escritora Mary Del Priore faz um mergulho pela história do esporte no Brasil (Clique aqui).

>> Biologia / Ciências

Mata das Araucárias

É um domínio vegetal brasileiro. Araucária angustifolia ou pinheiro-do-paraná dá o nome a essa vegetação. A espécie vive cerca de 200 anos.

A semente da sua árvore nativa chama-se pinhão (clique para ver receitas e curiosidades), sendo rica em reserva energética – uma junção de amido, proteína e lipídios e possibilita pratos variados e deliciosos.

É um convite para as aulas! Conhecer esse ecossistema brasileiro com suas características naturais e ocupação humana dessas áreas (Clique e saiba mais).

>> Química

2023 começa com um drama: a exploração ilegal de ouro nas terras Yanomanis (Clique aqui). O metal mais cobiçado do mundo é abundante por aqui (Clique aqui e aqui). Um pouco de história também (aqui).

>> Português

O maior contista contemporâneo é paranaense: Dalton Trevisan (1925) ficou conhecido por ser arredio a fotos e entrevistas e pelos clássicos: “O Vampiro de Curitiba” e “A Polaquinha”. Porém, o escritor foi muito mais além. Vale a pena conhecer um pouco mais de suas obras.

Clique para saber mais:

Helena Kolody foi a primeira brasileira a escrever haicais (poemas japoneses de 17 sílabas métricas), além de ter sido também parte da nossa categoria, atuando como professora em Rio Negro, Ponta Grossa, Jacarezinho e se aposentando em Curitiba, no Instituto de Educação Professor Erasmo Pilotto.

Clique para saber mais: https://www.bpp.pr.gov.br/Candido/Pagina/Roteiro-Literario-Helena-Kolody

Paulo Leminski hoje é nome de espaço cultural em Curitiba, a Pedreira Paulo Leminski, que recebeu shows de todos os tipos, de todas as partes do mundo. Mas, nos seus breves 44 anos de vida, foi poeta, romancista, tradutor, professor de redação, judô e crítico literário.

Clique para saber mais: 

>> Artes

Aqui temos artistas consagrados desde a Semana de Arte Moderna (1922), até chegarmos ao contexto atual com um muralista que já teve seu trabalho tachado de pichação e hoje é renome internacional: Eduardo Kobra (Clique aqui). Na mesma vertente de Kobra, estão Osgemeos (Veja aqui).

Não podíamos deixar de fora, uma prata da casa: Poty Lazzarotto, ou simplesmente Poty (Clique aqui). Além de seus belíssimos painéis, o desenhista também ilustrou vários livros de seu amigo, o contista Dalton Trevisan.

Em sua 31ª edição, o Festival de Teatro de Curitiba tornou-se uma agenda nacional necessária para os amantes da dramaturgia e acontece neste mês de março.


DICAS DE FILMES:

Clique aqui e aproveite a seleção indicada de filmes nacionais que ficaram a um triz do Oscar. O Paraná também produz cinema (veja aqui e aqui).


DICAS MUSICAIS:

Confira algumas músicas brasileiras que marcaram épocas e são sucesso até hoje (aqui e aqui).


IMAGENS DO BRASIL:

*Fotos: Cláudia Gruber

 

Isso vai fechar em 5 segundos

MENU