Barbárie e machismo: homem mata esposa e mais sete no Paraná e culpabiliza vítima

Barbárie e machismo: homem mata esposa e mais sete no Paraná e culpabiliza vítima

PM da cidade de Toledo assassinou oito pessoas, entre elas seis familiares e dois e outros dois jovens

A semana, que começou insuportável para mulheres de todo o Brasil, parece não ter fim. O sentimento de posse, a cultura misógina e a exposição diária ao discurso de ódio contra mulheres gerou outra tragédia, desta vez no oeste do Paraná.

Um policial militar assassinou oito pessoas, sendo seis familiares, nesta quinta-feira (14). Os crimes ocorreram nas cidades de Toledo e Céu Azul e entre as vítimas estão a esposa, dois filhos, a própria mãe, uma enteada, um irmão e outras duas pessoas desconhecidas que estavam na rua. Após a chacina, o agente se matou.

Um detalhe que chama a atenção nesta tragédia é como o machismo, que está enraizado na nossa cultura, foi o estopim de um massacre.O agressor enviou um áudio que, além de imputar a culpa do massacre à mulher, reforça o sentimento de posse sobre o corpo e a vida da companheira. 

“Família me desculpa, mas eu não ia conseguir viver sem a Kassiele, ela não estava mais querendo ficar comigo, ia me largar (…)”, diz no áudio.

É preciso posicionarmos esta tragédia sob a lente do machismo estrutural. Não se trata de mero “surto”. Mas de um feminicídio consciente, seguido de atos de brutal violência contra outros(as) familiares e pessoas sem qualquer relação com o caso.

A APP se solidariza com os(as) sobreviventes deste massacre e amigos(as) das vítimas. O Coletivo de Mulheres do Sindicato reitera a importância da desconstrução do discurso de ódio desde a escola, espaço fundamental de reflexão e transformação dos muitos males da nossa sociedade. 

MENU