Ato público dá adeus ao governo da mentira

Ato público dá adeus ao governo da mentira

Richa renunciou no dia 06 de abril do cargo de governador do Paraná

Na manhã deste sábado(07), foi realizado um ato público para simbolizar o fim do governo Beto Richa (PSDB), em Curitiba. Educadores(as) de diferentes núcleos sindicais da APP participaram do ato, além de movimentos sociais, diversas categorias de servidores(as) públicos(as), autoridades públicas, estudantes e comunidade escolar.

A mobilização foi espaço para um balanço dos desmandos feitos pelo governador. “Fizemos um resgate desse período violento agregado à saída de Richa do cargo.  Uma liderança que se identificou com a violência, com o desrespeito às leis, ataque completamente autoritário sobre os servidores de um modo geral. Na educação, o governo teve uma postura que se iguala aos períodos históricos mais violentos que a gente já teve nesse Estado”, destaca o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão.

A APP cobra da governadora empossada, Cida Borghetti (PP), que a pauta da categoria seja atendida. “Cobramos o respeito ao Estado Democrático de Direito, a retirada das faltas ilegais, o pagamento da data-base e o cumprimento da nossa pauta o quanto antes. É preciso valorização dos trabalhadores e das políticas de investimento para uma educação pública de qualidade”, pontua Hermes.

Leia a carta protocolada à governadora.

O deputado estadual, professor Lemos (PT), relembra que, além do desrespeito com os(as) servidores(as), o governo também prejudicou o futuro do Estado. “Esse é o bota fora Beto Richa. Ele foi um governador que escolheu os servidores públicos como inimigos do Estado e os tratou de forma humilhante. Não bastasse isso, também atacou o futuro do Paraná quando promoveu um desmonte na previdência dos servidores. Quando o governo antecipa os recebíveis, está gastando a poupança que outros governadores teriam para o futuro. Vai tarde. Beto Richa nunca mais”, ressalta.

Bárbara Hermann, professora: “Esse significa o fim de um período muito difícil”.

A professora Bárbara Hermann, que atua em Francisco Beltrão, se emociona ao relatar as dificuldades enfrentadas pela educação no último período. “Esse significa o fim de um período muito difícil, onde nós apanhamos, sofremos e perdemos direitos. Continuamos em pé, mas com muita dificuldade”, diz Barbara. O sentimento de tristeza relatado pela professora Bárbara ecoa em toda a categoria. Quando os gritos de “Richa nunca mais” tomam as mobilizações, redes sociais, encontros e atos pelo Estado, é um demonstrativo do adeus a um governo que deixa marcas que não podem ser esquecidas e repetidas.

Violência – No fim do ato público, os(as) educadores(as) tentavam deixar cruzes simbólicas em frente ao Palácio Iguaçu quando foram repreendidos pela polícia. “É violência atrás de violência. Esperamos que esse governo não volte nunca mais e que o Estado do Paraná aprenda a ter respeito no tratamento com movimentos sindicais e sociais”, finaliza Hermes.

 

Leia mais:

:: Entidades protocolam carta à governadora Cida Borghetti
:: Na saída do governador, educação afirma: Richa Nunca Mais!

MENU