APP-Sindicato repudia postura antidemocrática da chefia do NRE de Ivaiporã

A comunidade escolar e profissionais da educação votaram contra a militarização do Colégio Estadual Idalia Rocha de Ivaiporã

Foto: APP-Sindicato

Após denúncias, a Direção Estadual da APP-Sindicato publicou uma nota de repúdio contra as falas antidemocráticas proferidas pelo chefe do Núcleo Regional de Educação de Ivaiporã, Valber Vinícius França. Segundo o Núcleo Sindical da cidade, além da fala do chefe do NRE, grupos radicais se organizaram para atacar trabalhadores(as) e tentar cancelar a votação que negou o modelo cívico-militar no Colégio Estadual Idalia Rocha.

Segundo Sérgio Chaves, presidente do Núcleo Sindical de Ivaiporã destaca que a tentativa do NRE de tentar anular a votação fere a democracia por não respeitarem o resultado soberano da decisão da maioria esmagadora da comunidade escolar. “Para o Sindicato, este é um caso encerrado. Valorizamos o livre pensar de cada um. No entanto, àqueles e aquelas que não da comunidade escolar, nem trabalham, nem tem filhos na escola, e precisamos lembrar a eles que a consulta era para a comunidade escolar, e não para a população do município”, destaca o presidente do NS de Ivaiporã.

O secretário executivo Educacional da APP-Sindicato, Cleiton Denez enfatiza que o governo deve respeitar as escolhas dos(as) Professores(as), Funcionários(as) de escola, estudantes e comunidade escolar. “É necessário responsabilidade e respeito à vontade da comunidade escolar. E sobretudo da compreensão que professores(as),  funcionários(as), estudantes e pais constituem a comunidade da escola.  É inaceitavel que a autoridade constituída pelo governo, frente ao NRE, deslegitime os profissionais da educação dessa forma”, aponta Cleiton Denez.

Confira a nota de repúdio da APP-Sindicato:

NOTA DE REPÚDIO 

A Direção Estadual da APP-Sindicato vem a público repudiar as declarações antidemocráticas do chefe do Núcleo Regional de Educação de Ivaiporã VALBER VINÍCIUS FRANÇA de desqualificar e deslegitimar a ampla maioria dos votos de professores(as) e funcionários(as) de escola, contrários, no processo de consulta sobre a adesão ou não às escolas cívico-militares do Colégio Estadual Idalia Rocha.

É inaceitável, que a autoridade constituída pela Seed, frente ao NRE, vá para a porta da escola com grupos radicais que tomam parte à militarização, atacando a autonomia e a vontade da comunidade escolar, composta por pais, professores(as), funcionários(as) e estudantes. 

Tais declarações não coadunam com os princípios de gestão democrática e defesa da escola pública que é de longa tradição nos princípios da constituição cidadã de 1988 e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. 

Estamos atentos à expressões e atitudes desta natureza e não toleraremos em nenhuma hipótese tais práticas, inclusive, com ações ao poder judiciário.

Curitiba, 3 de novembro de 2020. 

Direção Estadual da APP-Sindicato.