APP-Sindicato recebe reconhecimento pelo trabalho sobre igualdade

Trabalho de valorização à vida, a inserção de forma digna na sociedade, no mercado de trabalho da população trans é reconhecido estadualmente

 

A Defensoria Pública do Estado do Paraná e o Transgrupo Marcela Prado realizaram, no dia 29 de janeiro, um evento em comemoração ao Dia Nacional da Visibilidade Trans. A celebração mostrou os resultados do trabalho conjunto de entidades em defesa da igualdade de gênero.  O resultado dessa parceria é que, nos últimos dois anos, já foram feitas, pelo Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (NUDEM) e pelo Núcleo da Cidadania e Direitos Humanos (NUCIDH), mais de duzentas retificações de registro de pessoas trans.

Durante o evento, a APP-Sindicato, representada pela professora Claudia Pillon, recebeu uma homenagem pelo trabalho que realizou no ano de 2019 em prol do direito a vida, a inserção de forma digna na sociedade, no mercado de trabalho da população trans.

O secretario executivo da secretaria da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI+ da APP-Sindicato e vice-presidente do Conselho Permanente de Direitos Humanos do Paraná (COPED), professor Clau Lopes, ficou muito grato pelo reconhecimento que se dá ao  trabalhado realizado e resultados alcançados pela APP , juntamente com o Coletivo Estadual de Combate a LGBTI + fobia. “É por meio da luta e de cobranças  que exigimos  uma sociedade livre do ódio e da Transfobia. Num contexto social machista, racista, homo/lesbo/bi/trasnfóbico presente no Brasil, e em muitos países e das inúmeras dificuldades no acesso adequado a direitos e políticas públicas à população trans é fundamental que o Estado, no seu papel de diagnosticar situações de vulnerabilidade, planejar, financiar e executar estas políticas e atue como mediador social na defesa e promoção desses direitos”, reforça o secretário.