APP-Sindicato participa de audiência pública em defesa da Repar

Paranaenses organizam ações contra a privatização da Refinaria Getúlio Vargas

Na manhã desta segunda-feira (11), em Curitiba,  pesquisadores(as), petroleiros(as), lideranças políticas e representantes de movimentos sociais participaram de uma audiência pública sobre a privatização da Refinaria Getúlio Vargas (Repar), unidade da Petrobrás. O evento foi organizado pelo mandato do deputado estadual Requião Filho no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Na audiência, foram apresentados dados técnicos sobre os prejuízos econômicos caso a Repar, a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen) e da Usina do Xisto podem gerar em cidades como Araucária, Paranaguá, São Mateus do Sul. no Paraná e em Itapoá e São Francisco do Sul, em Santa Catarina.

O presidente da  CUT-PR, Márcio Kieller também alertou sobre o impacto humano e social da privatização. “A Petrobrás cumpriu um papel determinante no futuro do país quando os royalties do petróleo seriam destinados para educação. Nós compreendemos que empresa estatal deve ter função social. Mas, quando se opta por um papel de privatização, vem um leque de situações desfavoráveis como o sucateamento dos serviços e a desvalorização do corpo funcional ” ressalva.

Também presente no evento, o ex-senador Roberto Requião avaliou que os interesses na venda de capital público podem ser parte do jogo político usado para eleger o atual grupo que está no poder. “Políticos que se elegem não tem mais nada a ver com seus discursos de campanha, com o programa dos seus partidos. Eles se subordinam, de forma quase que absoluta, aos seus financiadores de campanha. Essa precarização do parlamento vocês conhecem hoje no Brasil”, salienta o ex-senador.

Na mesa de discussões também estiveram presentes dirigentes sindicais ligados à CUT e outras centrais, o ex-senador Roberto Requião, presidente da Frente Ampla em Defesa da Soberania Nacional, bem como demais lideranças partidárias e trabalhistas.