APP-Sindicato marca presença na XIII Conferência Regional da Internacional da Educação para a América Latina, na Costa Rica

APP-Sindicato marca presença na XIII Conferência Regional da Internacional da Educação para a América Latina, na Costa Rica

O evento foi organizado para proporcionar a troca de experiências entre os países e eleger o novo comitê regional da Internacional no período 2024-2028

Foto: Reprodução/Leal

A APP marcou presença na XIII Conferência Regional da Internacional da Educação para a América Latina, realizada de 7 a 9 de abril na Costa Rica. A reunião proporcionou a troca de experiências entre os países, por meio de avaliações da conjuntura política e da realidade da educação em cada uma das nações representadas, além de eleger o novo comitê regional de 2024-2028 da Internacional da Educação para a América Latina (IEAL).

O professor Mário Sérgio Ferreira de Souza, dirigente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), e o professor Celso José dos Santos, dirigente da Federação Interestadual de Trabalhadores em Educação Pública (FITE) e secretário-geral da APP, integraram a delegação brasileira na Conferência.

“Nestes três dias, os debates ficaram focados na análise da conjuntura latino-americana da educação pública, além de análises políticas, sindicais e educacionais da situação da educação na Finlândia e nos Estados Unidos e das linhas de ação para o Comitê Regional da IEAL até 2028”, diz o dirigente Celso.

Participaram do evento mais de 200 representantes de países da América Latina, do Caribe e da América do Norte.

Situação do Brasil

Sobre o contexto político e educacional no Brasil, Heleno Araújo, presidente da CNTE, chamou atenção para a composição atual do Congresso Nacional, com maioria de parlamentares da direita, bem como nos estados – com oito unidades da federação representadas por governadores de esquerda e dezenove por políticos de direita. Isso dificultaria a aprovação de medidas que valorizam a educação e os(as) educadores(as). 

Sobre o futuro da educação no país, Heleno reiterou as esperanças de que a próxima década possa contar com um Plano Nacional de Educação que garanta, entre outros pontos:

1 – A regulamentação do custo aluno-qualidade para financiar a educação básica;

2 – O cumprimento da lei do piso salarial do magistério e as diretrizes nacionais de carreira para os trabalhadores(as) da educação; 

3 – Uma política nacional para formação de mais profissionais educadores.

O novo comitê da IEAL

Sonia Alesso, secretária geral da Confederação dos Trabalhadores da Educação da República da Argentina (CTERA), foi eleita a nova presidenta do comitê regional da IEAL.

Roberto Leão, secretário de Relações Internacionais da CNTE, agora é quem ocupa a vice-presidência pela sub-região Cone Sul.

Yorgina Alvarado Diaz, secretária Geral do Sindicato de Trabalhadoras e Trabalhadores da Educação Costarriquense (SEC/Costa Rica), é a nova vice-presidenta da sub-região Centroamérica e República Dominicana.

Isabel Olaya, executiva da Federação Colombiana de Educadores (FECODE), foi eleita a vice-presidenta da sub-região Andina.

MENU