APP-Sindicato denuncia ataques à educação pública no CEE

Novo projeto da EJA e o fechamento do Ensino Médio noturno integram o descaso com a escola pública

Nesta manhã (02), durante a reunião do Conselho Estadual de Educação do Paraná (CEE-PR), foi lido documento entregue pela direção da APP-Sindicato com denúncia da inviabilidade da reestruturação da Educação de Jovens e Adultos (EJA), mais um dos ataques à educação pública do Paraná.

A direção estadual do Sindicato contextualiza que a Seed já está implantando de forma total um novo modelo de oferta da EJA, que na prática significa  que os(as)  estudantes que estão hoje matriculados(as) no cronograma por disciplina e individual, não terão direito de continuar os estudos neste formato. A secretária geral da APP-Sindicato, Vanda Santana, enfatiza que este novo modelo fere o direito constitucional que os(as) nossos(as) jovens e trabalhadores(as) têm de frequentar a escola e assim poder concluir a educação básica.

Hoje, inclusive, houve uma mobilização de estudantes e professores(as) em frente ao prédio do Conselho de Educação para apresentar a realidade. Alguns(umas) representantes formaram uma Comissão para dialogar com a presidente do CEE, Maria das Graças Figueiredo Saad.

Após a denúncia e a manifestação, ficou agendada outra reunião no CEE para quarta-feira (04), às 14h, na nova sede do Conselho (Av. República Argentina, 1070) e contará também com a presença dos(as) demais conselheiros(as) e representantes da Secretaria da Educação. O Conselho continua debatendo esta questão porque tiveram uma informação da Seed e na prática agora o encaminhamento é outro.

“A nossa atuação é muito importante e a APP-Sindicato continua denunciando o fechamento do Ensino Médio noturno e este novo modelo da EJA que vai gerar exclusão educacional a esses jovens e adultos trabalhadores. Com esta reestruturação do governo, para estudantes que faltam duas disciplinas para concluir o Ensino Fundamental ou o Médio, agora  terão que ficar até mais três semestres”, exemplificou Vanda Santana.

Carta Direção APP apontamos proposta-convertido