APP-Sindicato contesta fechamento do Colégio Elísio Viana, em Curitiba

APP-Sindicato contesta fechamento do Colégio Elísio Viana, em Curitiba

Dirigentes da APP-Sindicato se reuniram nessa segunda-feira (8) com representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed) para buscar soluções e evitar o fechamento do Colégio Elísio Viana, em Curitiba.

Dirigentes da APP-Sindicato se reuniram nessa segunda-feira (8) com representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed) para buscar soluções e evitar o fechamento do Colégio Elísio Viana, em Curitiba. O governo quer fechar a escola, transferindo o Colégio Pio Lanteri para o local.

“Sugerimos manter os dois colégios no mesmo prédio, para garantir às turmas do Elisio Viana o direito de terminarem o curso”, afirma Tereza Lemos, secretária de Organização da APP.

“A Seed não se opôs e vamos agendar reunião com o Departamento de Educação Profissionalizante, o Núcleo Regional de Educação e as direções dos colégios, para continuar o debate sobre o tema”, completa Tereza.

A APP, por princípio, é contra o fechamento de escolas. “A gente sempre demandou que, onde tem redução de estudantes, pudesse ter, por exemplo, um turno único ampliado, que se pudesse ter uma discussão com a comunidade, que precisa ser ouvida nesses momentos”, afirma o presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão.

O debate sobre o fechamento do Colégio Elísio Viana acontece no contexto de denúncias de problemas no ensino técnico profissionalizante.

Na semana retrasada, alunos dos colégios Estudantes dos cursos técnicos de Enfermagem dos colégios estaduais Guido Straube e São Pedro Apóstolo, de Curitiba, protestaram em frente à Seed contra a falta de professores(as), atrasos nos salários e dificuldades para estagiar e concluir os cursos para começar a trabalhar.

:: Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram

Na mesma semana, a Seed anunciou o fechamento do curso técnico em Meio Ambiente do Colégio Newton Freire Maia, em Pinhais – o curso foi substituído por técnico em Agronegócio.

Outra pauta da reunião na Seed nessa segunda-feira (8) foi a situação do Colégio João Ferreira Kuster, em Campo Largo, administrado em dualidade com o município, que quer levar a escola para outro prédio em construção para alugar, a três quilômetros de distância.

A Seed autorizou a diretora do colégio a receber matrículas normalmente. Uma nova reunião com representantes da APP, Prefeitura, Seed e diretores(as) de escola será marcada para definir o que será feito.

 

Isso vai fechar em 0 segundos

MENU