APP-Sindicato cobrou vacinas contra a gripe a todos(as) educadores(as)

5 de junho encerra a campanha de vacinação aos grupos prioritários

Foto: Divulgação

Atenção professores(as) das escolas públicas paranaenses para a última etapa da campanha de vacinação contra a gripe H1N1, que se encerra no dia 5 de junho. Vocês, professores(as), integram o público-alvo dessa terceira fase, encerrando assim o ciclo das vacinas, segundo critérios do Ministério da Saúde do alto risco de exposição ao vírus. As doses da vacina são aplicadas em todo o estado. A vacinação é rápida, segura e preventiva, sendo que deve ser feita anualmente.

A direção da APP-Sindicato reforça a importância da inclusão dos(as) funcionários(as) públicos(as) nessa demanda. A secretária de Funcionários(as), Nádia Brixner, denuncia o fato de tanto o governo Federal como o Estadual não incluírem os(as) funcionários(as) de escola nos grupos que precisam receber a imunização. “Pelo quarto ano consecutivo, nós da APP-Sindicato, fizemos contato com a Secretaria da Saúde, e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) com o Ministério da Saúde, para que os funcionários estivessem nos grupos prioritários. Mas, não tivemos manifestação do Ministério da Saúde, e a Secretaria da Saúde do Paraná diz que é uma campanha nacional e não pode fazer alterações, mas, que esse segmento da escola pode receber a vacinação com o excedente”.

Vacinas excedentes – Todos os anos acontece um excedente de vacinas após a campanha dos grupos preferenciais e que podem ser destinados a qualquer pessoa que for buscar nos pontos disponíveis – fica aqui o alerta da direção da APP-Sindicato para que os(as) funcionários(as) busquem a vacinação.

“Em alguns municípios os agentes educacionais foram vacinados sem nenhum problema. Queremos que o governo do Estado olhe para os funcionários de escola com a mesma responsabilidade de alguns municípios. Ainda mais agora no meio da pandemia do coronavírus. Desde o final de março, são os funcionários que estão nas escolas fazendo as entregas dos kits da merenda, do leite, atendendo a comunidade escolar. Exigimos um olhar mais humano e de proteção à saúde dos nossos funcionários e funcionárias de escolas”, disse Nádia.

Saúde preventiva é responsabilidade de todos(as)!