APP-Sindicato cobrará lockdown efetivo do governador Ratinho Jr

APP-Sindicato cobrará lockdown efetivo do governador Ratinho Jr

Após o governador apontar a possibilidade de retorno das aulas presenciais em maio, Sindicato convoca Assembleia para dia 29 de maio e aprova mobilizações

Foto: Divulgação APP-Sindicato

Diante do novo anúncio do governador Ratinho Jr., onde aponta o retorno gradual das aulas presenciais a partir do mês de maio, o Conselho Estadual da APP-Sindicato discutiu nesta sexta-feira (30), novas ações contra a proposta e reforçou a necessidade de um lockdown efetivo no Paraná. Durante a reunião, o cientista Lucas Ferrante, que integra o Instituto de Pesquisas da Amazônia (Inpa), reforçou que este não é o momento do retorno das atividades presenciais, indicando um grande risco de aumento da contaminação por Covid-19 no estado.

Entre os principais pontos discutidos no Conselho, a direção Estadual dialogou com os representantes dos Núcleos Sindicais propostas para enfrentar a necropolítica de Ratinho Jr, que ao mesmo tempo que coloca em risco a vida dos(as) trabalhadores(as) de educação com a proposta nefasta do retorno presencial, ataca direitos fundamentais dos(as) profissionais. 

“O governador Ratinho Jr desconsidera a atual situação do Brasil, que já sofre com a perda de 400 mil vidas e coloca em risco trabalhadores(as), estudantes e comunidade escolar com sua pressa em retornar às atividades presenciais. Já ficou claro que os números altos de contágio se devem pela não realização de um lockdown efetivo e por isso precisamos cobrar, junto da sociedade, uma política efetiva de isolamento que reduza as altas taxas de transmissão do vírus”, destaca o presidente da APP-Sindicato, Professor Hermes Leão. 

O cientista Lucas Ferrante, que tem sido ameaçado por setores(as) Bolsonaristas por conta de sua pesquisa, aponta que o Paraná ainda não tem condições para um possível retorno e é necessário uma política efetiva de isolamento para reduzir os casos no Paraná e evitar mais mortes.

“O fechamento de escolas e universidades é o fator que mais contribui para reduzir a taxa de transmissão do vírus. Então nesse momento que o Brasil não vacina o suficiente, é completamente absurdo o possível retorno. Não é nenhum pouco viável”, declara Lucas Ferrante. O Sindicato ainda realizará uma coletiva de imprensa com a presença de Lucas Ferrante na próxima segunda-feira (3), a partir das 10h da manhã. 

Os(as) participantes debateram também sobre a terceirização do trabalho dos(as) Funcionários de Escola e a demissão de mais de 9700 trabalhadores(as) a partir do mês de maio. O Sindicato enfatizou a necessidade de fiscalizar as empresas que venceram a licitação e prestarão serviço para o Estado, principalmente se o número exato de profissionais para as escolas respeitam o porte das unidades. 

Já sobre as mobilizações, os(as) representantes apontam que os(as) educadores(as) deverão intensificar a pressão nos Núcleos Regionais de Educação (NRE’s), cobrando o lockdown do estado e o não retorno das aulas presenciais neste período caótico. 

Todas as propostas debatidas no Conselho serão apresentadas na próxima Assembleia Estadual da APP-Sindicato, que será realizada no dia 29 de maio. O Sindicato relembra ainda que a categoria mantém o indicativo de greve e paralisação de todas as atividades, caso o Ratinho Jr. insista no retorno das aulas presenciais.