APP-Sindicato cobra solução para caos criado pelo governo Ratinho na Educação

Governo fechou turmas em todo o estado criando transtornos em série e apreensão na rede

A direção estadual da APP-Sindicato exigiu nesta quarta-feira (11) providências urgentes para o caos criado pela Secretaria da Educação (Seed) neste primeiro dia de distribuição de aulas para o ano letivo de 2020.

Desde ontem, educadores(as) de todo o estado estão denunciando que a Seed retirou do sistema centenas de turmas que já estavam autorizadas. Diante da gravidade da situação, o Sindicato protocolou ofício na Casa Civil e no Ministério Público Estadual pedindo a suspensão do processo até a sua normalidade.

O Sindicato também denunciou e pediu solução para outros problemas, como o aumento do número de estudantes por turma, alterações na matriz do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA), redução do porte de escolas, diminuição do número de diretores(as) e equipes pedagógicas e alteração no formato das escolas de campo e das ilhas, sem autorização do Conselho Estadual da Educação.

Para o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão, o governo Ratinho Junior e o empresário Renato Feder deram mais uma demonstração de desrespeito com os(as) professores(as), funcionários(as) de escolas e estudantes da rede pública estadual.

“É desastrosa a forma como essa administração está fazendo a gestão da educação no Paraná. Totalmente desprovida de um olhar humanizado. Criando diariamente situações de desgaste e adoecimento para os(as) professores(as), funcionários(as) de escola e prejudicando os(as) estudantes”, criticou.

O presidente destaca ainda que neste ano a resolução de distribuição de aulas foi divulgada com apenas 48 horas antes do início do processo, dificultando a organização e o planejamento dos(as) educadores(as) e das escolas.

Orientação

Após a mobilização dos(as) dirigentes sindicais, a diretoria de Planejamento e Gestão Escolar da Seed divulgou um ofício circular dizendo que “as turmas fechadas foram reabertas e autorizadas” e que as escolas afetadas estão sendo comunicadas para que a distribuição aconteça dentro do prazo divulgado inicialmente, que se encerra no próximo dia 23.

:: Para ler o ofício, clique aqui.

A orientação da APP-Sindicato para os(as) professores(as) que se sentirem prejudicados(as) pela falha do governo é para entrar com recurso no Núcleo Regional de Educação. O sindicato também incentiva que a comunidade escolar continue organizada e se manifestando contra o fechamento de turmas, redução do ensino noturno, alterações no EJA e outras medidas tomadas pela Seed prejudiciais à educação.

Veja também: Canal da APP-Sindicato para receber denuncias dos ataques do governo Ratinho contra a educação

Fata de respeito

Em reunião com o chefe de gabinete do secretário da Educação, Josimar Bochine, os(as) dirigentes(as) criticaram a forma de gestão da pasta e cobraram explicações sobre o problema e a falta de esclarecimentos na nota divulgada pela pasta. Na avaliação dos(as) dirigentes, a falta de preocupação com a qualidade do ensino é uma das razões pelas falhas.

“Não dá pra fazer um estrago desses na vida das pessoas e não dar nenhuma de explicação sobre o que aconteceu. É preciso assumir o erro e, no mínimo, pedir desculpas. É muito desrespeitoso”, disse Hermes.

Além do presidente, representaram a APP-Sindicato nestas atividades as secretárias de Finanças, Walquíria Mazetto, de Geral, Vanda do Pilar, e de Aposentados, Valci Maria Matos.