APP-Sindicato celebra reconhecimento dos(as) funcionários(as) como educadores(as)

Lei que reconhece os(as) funcionários(as) de escola como profissionais da educação completa 10 anos

Sem Agente a escola para - Foto: APP-Sindicato

O reconhecimento oficial dos(as) funcionários(as) de escola como profissionais da educação está completando 10 anos. Para marcar essa comemoração, a APP-Sindicato preparou uma programação especial nesta semana.

As publicações vão mostrar o papel indispensável dos(as) funcionários(as) no cotidiano das escolas, na luta em defesa da escola pública de qualidade e a busca do reconhecimento legítimo como profissionais da educação.

Às 17h desta terça-feira (6) tem o programa Funcionário em Foco, transmitido ao vivo no Facebook e no YouTube. De quarta até sexta, matérias serão publicadas no site do Sindicato trazendo histórias e personagens falando sobre lutas e conquistas.

“O segmento dos(as) funcionários(as) de escola é formado por auxiliares administrativos, merendeiras(os), auxiliares de serviços gerais, de apoio e vigilância, e cada um deles(as) é fundamental para a escola”, explica a secretária de Funcionários da APP-Sindicato, Nádia Brixner. De acordo com dados do governo estadual, são quase 30 mil trabalhadores(as), 30% do total de profissionais que atuam nas escolas da rede estadual.

Comemoração

No Paraná, o Dia do Funcionário de Escola é comemorado anualmente no dia 7 de agosto, desde 2010. A data foi instituída pela Lei estadual n. 16.423, de autoria do deputado estadual Professor Lemos, que incluiu a celebração no calendário oficial do estado.

Esse reconhecimento se deu após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o então ministro da Educação, Fernando Haddad, sancionarem a Lei Federal n. 12.014, que incluiu na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) os(as) trabalhadores(as) de escola como profissionais da educação.

O projeto que resultou nessa lei foi apresentado no Senado Federal, em 2003, pela funcionária de escola pública em Rondônia e ex-senadora, Fátima Cleide. A iniciativa fortaleceu a luta dos(as) trabalhadores(as) que atuam nas escolas, da portaria à secretaria, que mostram todos os dias que educação não é apenas do(a) professor(a) em sala de aula.