APP retoma pauta dos(as) educadores(as) com a Casa Civil

APP retoma pauta dos(as) educadores(as) com a Casa Civil


A direção da APP-Sindicato voltou a se reunir, no final da tarde desta quarta-feira (10), com o secretário chefe da Casa Civil Valdir Rossoni. A tônica da reunião permaneceu a mesma: a categoria não abre mão dos direitos da carreira e cobra que governo salde as dívidas conosco. Na reunião, também estavam presente a secretária de Educação Ana Seres Comin e vários técnicos da Secretaria de Estado da Educação (Seed).

A novidade deste debate foi o convite, feito por Rossoni, para que o sindicato participe amanhã, dia 11, da reunião da Comissão de Política Salarial do governo do Estado. O objetivo é que a entidade apresente aos componentes do comitê – entre eles os secretários da Fazenda e da Administração e Previdência – os estudos que embasam a defesa de que o governo pode e tem como pagar o que deve e assumir os compromissos com a Educação.

Segundo Rossoni, que preside a Comissão, esta será a primeira vez que um sindicato participará de uma reunião do grupo. De acordo com ele, há uma enorme distância nos entendimentos apresentados pela APP, pelo Fórum das Entidades Sindicais (FES) e pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa). “Vocês poderão argumentar com o próprio secretário Mauro Ricardo. Avalio que isto será positivo, especialmente porque ocorrerá antes de um encontro de contas que será realizado, no próximo dia 17, entre as Secretarias de Administração e da Fazenda”, afirmou.

Para o presidente da APP, professor Hermes Silva Leão, o sindicato mais uma vez fará a defesa da viabilidade do cumprimento das pautas. “Temos insistido nas negociações efetivas e, pelo menos, no cumprimento das pautas mais urgentes. Muito tem-se falado da ausência de recursos que a crise brasileira impõe e que este seria um dos motivos para não implementação de itens da nossa campanha salarial. Temos apontando publicamente o quanto esta argumentação nos causa estranheza, em vista do discurso – e dados – do próprio governo, que dizem o contrário”, afirmou.

A secretária de Finanças da APP, professora Marlei Fernandes de Carvalho, foi taxativa: “Temos visitado escolas de todo o Estado em nossa caravana e a categoria é clara: não abrirá mão de direitos de carreira, conquistados através de lutas históricas”. Ademais, sobre a possibilidade de apresentar o entendimento do sindicato na Comissão de Política Salarial, Marlei, que também integra a coordenação do FES, afirma que este espaço está sendo solicitado há muito tempo. “Continuamos no esforço permanente de fazer um bom debate”, afirmou.

Falta do dia 29 de abril – Durante a reunião, o secretário de Assuntos Municipais, Celso José dos Santos, defendeu que o governo reveja a posição sobre a falta lançada na categoria por conta da mobilização do dia 29 de abril. “Seria um gesto de boa vontade do governo, ainda mais se considerarmos que esta medida não constituirá nenhum custo financeiro aos cofres do Estado”, destacou. O deputado estadual  Professor Lemos, que também acompanhou a reunião na Casa Civil, reforçou a importância da retirada da falta. “É uma medida absolutamente possível, especialmente considerando que no final do mês teremos mais uma mobilização do 30 de agosto e, em seguida, uma nova assembleia da categoria”, avaliou.

Pela APP, participaram da reunião os(as) diretores(as) Hermes Silva Leão, Marlei Fernandes de Carvalho, Celso José dos Santos e Ralph Charles Wandpap, bem como o economista Cid Cordeiro e o deputado estadual Professor Lemos.

Isso vai fechar em 0 segundos

MENU