APP: Queremos uma escola bonita por fora e por dentro

Em evento de Richa, APP questiona: quem paga essa festa?

Foto: Comunicação APP

Visíveis contrastes predominaram nesta quarta-feira (28), durante a cerimônia de distribuição de recursos à educação, no Palácio Iguaçu, em Curitiba (PR). Entre a propaganda e a realidade dos investimentos do governo do Paraná existe um espaço não preenchido: a valorização de fato da educação da rede estadual e de seus(as) envolvidos(as).

A direção da APP-Sindicato, já acostumada com o despertar do relógio para as tarefas diárias letivas, desde cedo fez o contraponto no meio à ostentação e estrutura montada pela equipe do governo para o “grande evento” – coincidentemente em ano eleitoral.

Para este dia 28 de fevereiro de 2018 surgem, como num passe de mágica, investimentos de R$ 88 mil para “serviços de locação de infraestrutura” para realizar o evento de lançamento do Programa Escola Conectada.

Fica a realidade de se usar o “ajuste fiscal” para justificar a redução da hora-atividade, redução de salários(as), falta de professores(as) e funcionários(as) para as funções letivas, entre tantos outros pontos da pauta da educação. Mais fácil é punir os(as) responsáveis pela educação de milhares de jovens que dependem do ensino público ao invés de dialogar com toda a comunidade e o Sindicato que representa a categoria no Estado.

O presidente da APP, professor Hermes Leão, destacou a entrega do material ilustrativo do Sindicato que, ao mesmo tempo, afirma a importância da pauta de reformas como de melhorias de estrutura física das escolas. “Consideramos insuficiente o investimento que o governo vem apresentando. Em essência, o interior das escolas está desmontado com a redução do salário dos PSS e da jornada em hora-atividade, dois anos de congelamento de salário e da inflação. O governo faz uma forte propaganda, mas, desconsidera a pauta da educação, além de perseguir e atacar os trabalhadores que fazem o dia a dia das escolas. Temos um número de funcionários insuficientes e professores cada vez mais adoecidos”, enfatizou o professor Hermes.

Pode isso, governador Beto Richa (PSDB)? O símbolo do material da APP já é uma reflexão. Pelo sentido antigo já se dizia que a maçã simbolizava o agradecimento ao trabalho executado pelos(as) educadores(as) como também uma forma de desejar boa saúde a eles(as). Na gestão Beto Richa, a maçã é como a escola das propagandas: bonita apenas por fora e por dentro a amargura dos constantes ataques.

A APP negou a participação de cerimônia pomposa justamente porque o evento não responde às expectativas da categoria. “Nossa decisão em Assembleia é fazer manifestações públicas nas agendas do governador e secretários. Cobrar do governo respostas aos itens centrais da pauta da educação”, explica Hermes Leão, e chama a  categoria para a Assembleia Estadual no próximo dia 3 de março, para avaliar o período e tomada de decisões do calendário de intensa resistência no Paraná.

Leia mais:

::Por fora, bela viola: protestos marcam cerimônia no Palácio Iguaçu

::Governo pode gastar R$ 88 mil em evento de lançamento de programa