APP participa de audiência na Assembleia Legislativa com o tema “LGBTI+: Políticas Públicas, Direitos e Enfrentamento a Fake News e Desinformação”

APP participa de audiência na Assembleia Legislativa com o tema “LGBTI+: Políticas Públicas, Direitos e Enfrentamento a Fake News e Desinformação”

Sindicato foi representado por Clau Lopes, secretário executivo dos Direitos da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI+

A APP participou nesta terça-feira (9) de audiência pública na Assembleia Legislativa do Paraná com o tema “LGBTI+: Políticas Públicas, Direitos e Enfrentamento a Fake News e Desinformação”. O Sindicato foi representado por Clau Lopes, secretário executivo dos Direitos da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI+.

Clau Lopes defendeu a necessidade de retomar as políticas afirmativas da população LGBTQI+ dentro das escolas públicas. “Já foi mencionado aqui que mais de 60% das pessoas LGBTQI+ têm medo de ir para a escola”, disse.

O dirigente ressaltou que ameaças e agressões levam à evasão escolar de jovens LGBTQI+. Como coordenador de escola, ele constatou a dificuldade de orientar professores(as) para acompanhar o processo educacional desses(as) estudantes. 

As fake news têm efeitos nefastos nos ambientes escolares, que perduram no tempo, apontou Clau. “Isso colocou o medo em nossas vivências e estamos ainda longe de desconstruir o kit gay, que nunca existiu”, afirmou.

Clau cobrou do governo estadual a inclusão do tema da diversidade nas Semanas Pedagógicas. “O Estado não cumpre seu dever de fazer essas formações pedagógicas”, apontou.

Omissão

A ausência do Estado favorece a ocupação desse espaço por organizações religiosas, que impõe visões conservadoras a estudantes e seus familiares. Ele citou o caso de uma escola em Curitiba que abre as portas para uma associação religiosa ensinar os estudantes sobre “crise na sexualidade”. 

“Fundamentalistas estão ocupando as escolas públicas para ensinar o que é crise da sexualidade. Isso é grave”, alertou.

“Nós precisamos estar atentos a essas questões. Nós vamos continuar lutando por uma educação pública gratuita emancipadora para todos”, disse.

A audiência foi proposta pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos e da Cidadania, deputado Professor Lemos (PT); pelo presidente da Comissão de Saúde Pública, deputado Tercilio Turini (PSD) e pela vice-presidente da Comissão de Saúde, deputada Márcia Huçulak (PSD).

Confira nesse Link o depoimento do Clau Lopes na audiência da Assembleia Legislativa.

 

MENU