APP é vermelha em dezembro: a cor simboliza a campanha sobre as formas de contágio do HIV e outras doenças APP-Sindicato

APP é vermelha em dezembro: a cor simboliza a campanha sobre as formas de contágio do HIV e outras doenças

A APP salienta a importância da educação no debate entre a comunidade escolar e seus(suas) protagonistas como conscientização e prevenção

Dezembro é representado pela cor vermelha, instituído pela Lei nº 13.504/2017, como um instrumento de conscientização e prevenção na luta contra o vírus HIV/aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis. (ISTs). 

>> Receba notícias da APP por Whatsapp ou Telegram

As doenças transmissíveis não “escolhem” quem será infectado(a). Somente o vírus da aids  já contaminou mais de 84 milhões de pessoas no mundo, segundo dados do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/aids (Unaids). Em 2022, o Ministério da Saúde registrou 10.994 óbitos tendo o HIV/aids como causa básica.

Saúde é prioridade e a APP-Sindicato soma-se à campanha e estampa o vermelho na fachada da sede estadual, em Curitiba. A defesa da APP é de que a educação aliada às políticas públicas de conscientização da utilização de preservativos e desmistificação da doença são fundamentais na luta contra a infecção pelo HIV e respeito com quem porta o vírus. 

O secretário executivo da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI+, Clau Lopes, que  integra o Conselho Nacional LGBTIQIA+ do Ministério de Direitos Humanos e Cidadania, afirma a necessidade de fomentar o debate enquanto educação pública e de direitos humanos, pois o melhor caminho para frear a contaminação pelo HIV é a prevenção. 

“Façam sempre a testagem. É um passo fundamental da conscientização e do cuidado para saber se contraiu ou não a doença. Não se omita, não se coloque em risco e nem a vida de outras pessoas”, frisa o professor Clau, lembrando que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferta o teste rápido, gratuito e de forma anônima.

>> Confira a Cartilha da CNTE – Luta pela Vida <<

Aids 2022 em números pelo programa Unaids; uma realidade a prevenir:

  • 39 milhões de pessoas vivendo com o HIV em 2022;
  • 1,3 milhão de pessoas foram recém-infectadas com o HIV em 2022.
  • 630 mil pessoas morreram de doenças relacionadas à aids em 2022;
  • 29,8 milhões de pessoas receberam terapia antirretroviral em 2022;
  • 85,6 milhões de pessoas foram infectadas pelo HIV desde o início da epidemia;
  • 40,4 milhões de pessoas morreram de doenças relacionadas à aids desde o início da epidemia.

Ouça e reflita

 

MENU