APP e Instituto IPO realizam pesquisa sobre a plataformização da educação no Paraná APP-Sindicato

APP e Instituto IPO realizam pesquisa sobre a plataformização da educação no Paraná

Objetivo é compreender, com alto grau de confiança, a percepção da categoria sobre o uso intensivo de plataformas na rede

A APP-Sindicato e o Instituto Pesquisas de Opinião (IPO) estão realizando uma pesquisa com professores(as) da rede estadual sobre a plataformização da educação. A partir desta segunda-feira (26), os(as) pesquisadores(as) entrarão em contato por telefone com 300 educadores(as) de todas as regiões do estado.

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram

O objetivo é compreender, com alto grau de confiança, a percepção da categoria sobre os impactos do uso intensivo de plataformas digitais – imposto pela Seed – na qualidade do ensino-aprendizagem, nas condições de trabalho e no adoecimento dos(as) educadores(as).

A Secretaria Educacional do Sindicato trabalhou em conjunto com os(as) cientistas sociais do Instituto para desenvolver o questionário. A expectativa é que os dados coletados ajudem a subsidiar a atuação sindical e o debate com governo e sociedade sobre o tema, que deve ser um dos focos da luta no próximo período.

“Queremos ter elementos concretos para qualificar a disputa e o debate público, pois entendemos que a imposição das plataformas, da forma como tem sido feito no Paraná, gera graves prejuízos à autonomia pedagógica e à qualidade do aprendizado, além de levantar questionamentos sobre a segurança de dados e violações à privacidade da comunidade escolar”, explica Vanda Santana, secretária Educacional da APP.

O tema das plataformas também será objeto do seminário “Plataformização da educação: um debate necessário”, no próximo sábado (1º), com dirigentes e representações da base de todos os núcleos sindicais em Curitiba. A mesa de abertura reunirá especialistas e será transmitida nas redes da APP a partir das 8h50.  

Sobre o IPO

O Instituto Pesquisas de Opinião (IPO) atua há 25 anos no segmento e possui uma equipe constituída por cientistas sociais, de gestão e de comunicação com experiência em investigação social e mercadológica. Possui, entre seus clientes, entidades como o Sebrae, a Fecomercio/RS e diversos sindicatos, como o CPERS e a Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris).

MENU