APP e Comissão de Segurança da Câmara visitam Colégio Helena Kolody, alvo de atentado em Cambé

APP e Comissão de Segurança da Câmara visitam Colégio Helena Kolody, alvo de atentado em Cambé

Atividade teve objetivo de coletar informações para protocolo nacional de segurança nas escolas e foi acompanhada pela APP-Sindicato

Foto: QuemTV

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram

A Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados realizou nesta sexta-feira (23) uma visita técnica no Colégio Estadual Helena Kolody, em Cambé, onde ocorreu um atentado que resultou na morte de dois estudantes na última segunda-feira (19).

Proposta pela deputada federal, Carol Dartora (PT-PR), a iniciativa teve o objetivo de prestar solidariedade à comunidade escolar e coletar informações para compor um protocolo nacional de segurança nas escolas.

A secretária de Funcionários(as) da APP-Sindicato, Elizabete Eva Almeida Dantas, e representantes do Ministério Público, da Defensoria Pública, do Núcleo Regional de Educação e a direção da escola acompanharam os trabalhos.

Foto: QuemTV

“Essa visita tem o intuito, acima de tudo, de prestar solidariedade, mas também de pensar em um protocolo que nos tire dessa situação. Sabemos que a escola é o lugar mais seguro que a gente tem e queremos que a escola continue sendo esse espaço de educação e segurança”, afirmou a parlamentar.

Na avaliação da deputada, o ataque registrado em Cambé e em outras escolas pelo país tem relação com o incentivo ao armamento e a falta de regulação do discurso de ódio nas redes sociais. “Isso precisa ser coibido, pois são temas interligados”, disse.

Comoção

De acordo com a secretária de Funcionários(as) da APP, a comunidade escolar ainda está muito abalada com tudo o que aconteceu e, durante a atividade, foi possível verificar o plano de ação implementado para o acolhimento e retorno dos professores(as), funcionários(as) e estudantes.

“Nós da APP levamos novamente o nosso abraço aos estudantes, professores, funcionários, ao diretor e colocamos o nosso Sindicato à disposição do que eles precisarem”, relatou.

Foto: QuemTV

Violência

O caso aconteceu por volta das 9h de segunda-feira (19). Após entrar na escola para solicitar uma cópia do histórico escolar, um ex-aluno efetuou disparos com arma de fogo contra estudantes. Karoline Verri Alves, de 17 anos, foi alvejada e morreu no local. Luan Augusto, de 16 anos, também foi atingido. Ele foi socorrido em estado grave, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

O criminoso foi contido por um homem que trabalha em uma empresa próxima à escola e, em seguida, preso pela Polícia Militar. Dois dias depois, o jovem, de 21 anos, foi encontrado morto em uma cela da Casa de Custódia de Londrina.

Desde a data da ocorrência, a APP-Sindicato acompanha os desdobramentos, as investigações e as ações do governo estadual para garantir a segurança das escolas. Em nota, o Sindicato lamentou a tragédia e prestou solidariedade às vítimas, familiares, colegas e a toda a comunidade escolar.

Leia também: Luto e horror: ataque a escola em Cambé deixa ao menos uma morte

Saiba mais: Armas de fogo respondem por 76% das mortes nos ataques contra escolas ocorridos no Brasil

 

Isso vai fechar em 0 segundos

MENU