APP denuncia fechamento de turmas e turnos ao Ministério Público

Ação aprovada em jornada de lutas da categoria leva ao MP a situação das escolas no Paraná

Foto: Comunicação APP-Sindicato

A APP-Sindicato denunciou ao Ministério Público (MP) o fechamento de turmas, turnos e escolas no Paraná. A promotora de Justiça, Luciana Linero, e assessoria jurídico-pedagógica receberam dirigentes da APP e ouviram os relatos de fechamento de escolas turnos e turmas para o ano letivo de 2018.

A ação, que foi aprovada em Assembleia Estadual para a jornada de lutas da categoria, busca o apoio de órgãos que compreendam o que a política de fechamento de turmas, turnos e escolas representa no cotidiano da comunidade escolar. “Nós solicitamos ao Ministério Público o acompanhamento do tema porque entendemos que a Seed deve  estabelecer políticas públicas educacionais que visem, justamente, o não fechamento de turmas, turnos e escolas. Até porque a demanda da comunidade escolar existe. Não compreendemos o fechamento de turmas diante de uma demanda que não diminuiu. A demanda do ensino médio, por exemplo, que tem maior o índice de evasão e reprovação, não caiu em 2018”, destaca a secretária Educacional da APP, professora Taís Mendes.

Além disso, a APP solicitou ao MP que acione a Secretaria de Educação (Seed) para que dados reais de matrículas, índices de evasão e repetência sejam apresentados. “Nós não tivemos acesso a esses dados e a única justificativa da Seed é financeira.  Queremos que, em cima desses dados reais, possamos estabelecer um grupo de estudos com a Seed e definir estratégias para que no próximo ano, em 2019, não tenhamos os mesmos problemas que estamos enfrentando agora”, explica.

Comissão de EducaçãoEm dezembro de 2017, a APP levou à Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) educadores(as) de diversos Núcleos Sindicais para relatarem a realidade das escolas que estão passando por redução de turmas e turnos. Além disso, o Sindicato expôs a dificuldade de diálogo com o governo com relação aos fechamentos de escolas. “Fomos até a Comissão de Educação para denunciar e pedir ajuda, considerando que é um espaço importante de debate e interferência na educação do Estado. Além disso, estamos procurando o Ministério Público e todos os lugares possíveis para defender as escolas”, finaliza o presidente da APP, professor Hermes Silva Leão.

Assembleia Estadual – No dia 03 de março, em Curitiba, haverá Assembleia Estadual para avaliar o estado de greve da categoria. Temas como o fechamento de turmas está na pauta da educação e deve ser debatido por todos e todas na Assembleia. Entre em contato com o seu Núcleo Sindical e participe.