APP convoca educadores(as) para votação do projeto que implementa a Data-Base e o Piso APP-Sindicato

APP convoca educadores(as) para votação do projeto que implementa a Data-Base e o Piso

A pressão dos(as) trabalhadores(as) é fundamental para que as emendas apresentadas pela APP sejam aprovadas

A próxima semana é decisiva para os(as) educadores(as) do Paraná. Entre segunda e terça-feira (3 e 4), o Projeto de Lei nº 532/2023, que implementa os reajustes da Data-Base (5,79%) e do Piso (13,25%) na folha de agosto deste ano vai tramitar no Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná.

Na segunda-feira (3), o projeto será lido e emendas devem ser apresentadas ao texto. Já na terça-feira (4), as emendas serão analisadas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e o projeto deve ter a sua versão final aprovada pelos(as) deputados(as).

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram

A APP-Sindicato, junto ao Fórum das Entidades Sindicais (FES), convoca todos(as) os(as) educadores(as), aposentados(as) e da ativa para assegurar a aprovação de emendas que corrigem injustiças e aperfeiçoam pontos cruciais do projeto. 

Entre as emendas defendidas pela APP estão a implantação do reajuste de 13,25% para os(as) professores(as) aposentados(as) sem paridade, a retirada do artigo que revoga o mês de maio como referência para a Data-Base e a garantia de que a Data-Base de 5,79% corresponda exclusivamente à inflação acumulada de 2022.

A presidenta da APP-Sindicato, Walkíria Olegário Mazeto, reforça que a participação dos(as) trabalhadores(as) é fundamental para que as emendas apresentadas sejam aprovadas. “Nós fizemos todos os esforços possíveis, dialogando com deputados(as) e governo durante meses de campanha salarial para melhorar os índices e o texto da proposta. Agora é hora de união e de mostrar forças para que nossas emendas sejam aceitas”.

PL do Piso e da Data-Base | Resumo da APP-Sindicato

1️⃣ Quais os reajustes propostos no texto?

  • 13,25% para todos(as) os(as) professores(as) QPM da ativa e PSS
  • 13,25% para todos(as) os(as) professores(as) aposentados(as) COM PARIDADE
  • 5,79% para os(as) professores(as) aposentados(as) SEM PARIDADE
  • 5,79% para os(as) QFEB, na ativa e aposentados(as)
  • 5,79% no auxílio-transporte dos(as) QFEB, QPM e PSS
  • 5,79% na Gratificação de Tecnologia e Ensino (GTE)
  • Complemento do Piso retroativo a janeiro para os(as) professores(as) PSS

2️⃣ O que precisa mudar com as emendas?

  • Assegurar o reajuste de 13,25% para os(as) professores(as) aposentados(as) SEM PARIDADE
  • Garantir que a Data-Base de 5,79% corresponda exclusivamente à inflação acumulada de 2022 
  • Derrubar o artigo que revoga o mês de maio como referência para a implantação da Data-Base

3️⃣ E a reestruturação da tabela salarial dos(as) QFEB?

  • Ainda não chegou à Assembleia Legislativa para análise e votação. Cabe ao governador aprovar a proposta de reestruturação da tabela dos(as) QFEB que tramita no Executivo e enviá-la para a Assembleia Legislativa
  • A tabela, que tramita no governo e pode sofrer alterações, foi apresentada nesta quinta-feira (29), na Live Funcionários(as) em Foco, nas redes da APP-Sindicato 

4️⃣ Quando será a votação do PL?

  • Segunda-feira (3), 14h: leitura e apresentação de emendas no Plenário 
  • Terça-feira (4), 14h: análise das emendas na CCJ e votação no Plenário

? Todos e todas na Alep!

Nova Tabela QFEB

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) protocolou uma proposta de reestruturação da tabela salarial dos(as) QFEB. O projeto tramita internamente no governo.

O avanço da pauta é fruto do debate provocado pela APP para recuperar a defasagem salarial dos(as) agentes educacionais. Em grupo de trabalho estabelecido com a Seed, o Sindicato propôs cinco premissas para o debate, que em sua maioria foram acolhidas pela Secretaria.

1 – Manutenção das regras atuais que dizem respeito às promoções, progressões e gratificações

2 – Manter o número de 36 classes que compõem hoje as tabelas salariais

3 – Equiparar os salários iniciais e finais à tabela dos QPPE

4 – Implementar recomposição salarial imediata a todos(as)

5 – Manter debate sobre alterações futuras para melhorias nas carreiras

Se o texto atual avançar sem alterações, a tabela será reajustada elevando de R$ 1.067,32 para R$ 1.800 o salário inicial do cargo de Agente Educacional I e de R$ 1.600,96 para R$ 3.000 do Agente Educacional II. Já o final passará de R$ 3.937,29 para R$ 4.271,77 (Agente I) e de R$ 5.905,94 para R$ 7.119,62 (Agente II).

O índice de reajuste varia de classe para classe. Na média, considerando o número de agentes em cada classe), será de 15,99% para Agentes I e 22,76% para Agentes II.

A direção do Sindicato trabalha para que o governo atenda as reivindicações ainda não contempladas e envie o projeto para votação antes do recesso de julho da Assembleia Legislativa. Caso essa possibilidade não se concretize, a expectativa é de que a aprovação aconteça no retorno das atividades do Legislativo, em agosto.

Governo e deputados(as) também debatem a possibilidade de estender o auxílio-alimentação de R$ 600, recebido por algumas categorias, para os(as) QFEB.

Para virar Projeto de Lei, a proposta da nova tabela salarial precisa ser aprovada pelo governador. 


:: Leia mais:

:: Piso e Data-Base na Assembleia Legislativa: entenda o que está em jogo para os(as) educadores(as)
:: APP divulga proposta de tabela salarial dos(as) QFEB que tramita no governo
:: Governo exclui 10,2 mil professores(as) aposentados(as) sem paridade do reajuste do Piso
:: Semana decisiva: Assembleia Estadual define próximos passos da luta com foco na campanha salarial

MENU