APP cobra revisão de itens da Resolução de Distribuição de Aulas

APP cobra revisão de itens da Resolução de Distribuição de Aulas

Dirigentes do Sindicato estiveram na Seed para questionar normas ilegais e punitivas

Em reunião realizada na tarde dessa sexta-feira(12), na sede da Secretaria de Estado da Educação (Seed), dirigentes da APP-Sindicato cobraram a revisão de itens da Resolução nº 15/2018 considerados ilegais e punitivos. A Resolução publicada pela Seed se refere à distribuição de aulas para ano letivo de 2018.

O presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão; o secretário de Assuntos Jurídicos, Mario Sergio de Souza e a secretária Educacional, Taís Mendes, acompanhados da assessoria jurídica da APP, foram recebidos pela chefe do Grupo de Recursos Humanos Setorial, Graziele Andriola.

Entre os principais pontos questionados, estão a redução da jornada de hora-atividade, o ataque às licenças legais que professores e professoras tiveram, além de uma punição a mais aos professores e professoras que tiveram 3% de faltas nas aulas das suas disciplinas e que ficam impedidos de pegar aulas extraordinárias.

“Expusemos que são vários os pontos prejudiciais aos educadores e educadoras que continuam prevalecendo nesta Resolução e que segue a mesma linha das imposições do governo Beto Richa para a rede pública de ensino e seus profissionais em 2017”, conta Hermes Leão. “A assessoria jurídica da APP já está analisando todos esses pontos e verificando quais as medidas devem ser tomadas para que prevaleçam nossos direitos legais”, destaca ainda.

A APP reforça o chamado para que a categoria se organize e participe da Assembleia Estadual convocada para o dia 27 de janeiro, em Curitiba, pois será feita a avaliação deste período e também a aprovação das mobilizações necessárias diante das intransigências do governo.

MENU