Após pressão por reunião, APP-Sindicato cobra diálogo com a Seed

O Sindicato enfatiza a necessidade do governo Ratinho Jr dialogar com a categoria para definir assuntos que envolvem profissionais e estudantes

A direção estadual esperou 6h até conseguir uma reunião com a Seed

Na tarde desta sexta-feira (9), a direção estadual da APP-Sindicato se reuniu com representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed) para cobrar pontos importantes da pauta da categoria. Entre os principais assuntos abordados estão o retorno das atividades presenciais nas escola públicas, a obrigatoriedade do uso do Google Meet por parte de professores(as), a eleição para diretores(as) de escola e o edital para Professores(as) do Processo Seletivo Simplificado (PSS). 

A reunião foi uma pressão da APP-Sindicato, que cobrou nesta semana uma reunião com a direção da Seed e ressaltou a decisão de greve em Defesa da Vida em caso do retorno das atividades presenciais. Durante o encontro, a direção estadual apontou um autoritarismo por por parte da Secretaria, que não abre o espaço para diálogo com os(as) mais afetadas(os) pela medida, como Professores(as), Funcionários(as) de Escola, estudantes e comunidade escolar. 

O ponto central do debate foi o anúncio de Ratinho Jr, que comunica o retorno das atividades presenciais em cidades com índices baixos de infecção pelo Coronavírus (COVID-19). A Seed explicou ainda que o retorno contempla apenas atividades extracurriculares aplicados em cada unidade. A APP-Sindicato se posicionou contra a medida e cobra ainda uma reunião entre a Seed e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) para questionar quais índices o órgão considera adequado. 

Já sobre a obrigatoriedade do uso do meet, a Seed reafirmou a não obrigatoriedade da aplicação de aulas na plataforma, conforme a nota publicada pela secretaria. O Sindicato enfatizou que houveram diversas denúncias de que os Núcleos Regionais de Educação estão cobrando a realização de aulas na plataforma. “Começaremos a classificar essas denúncias como assédio e levaremos à justiça diretores(as) e NREs que ameaçarem os(as) profissionais da educação. Não vemos problema na utilização da plataforma, agora, vemos problema a obrigatoriedade da utilização do programa”, explica a secretária de Finanças, Professora Walkiria Olegario Mazeto.

Prova para PSS

Na ocasião, a APP-Sindicato ressaltou a preocupação com a tentativa da Seed em alterar os atuais critérios para o Processo Seletivo Simplificado. Foi apresentado o abaixo-assinado, o qual a categoria demonstrou descontentamento com a proposta e foi cobrado um resposta da Seed. A secretaria informou que ocorrerá uma nova rodada de reuniões da comissão de PSS na próxima terça-feira (13), onde serão retomados o tema dos critérios para Professores(as) e o futuro de Funcionários(as) PSS.

Eleições de diretores(as)

A direção estadual demonstrou na reunião a preocupação com a realização das eleições para diretores(as) de escola, que já sofreu ataques com o (PL 565/20) que permite a intervenção do governo na escolha feita pelas comunidades. A Secretaria comunicou na reunião que os critérios ainda não foram definidos e que existe a possibilidade das eleições serem adiadas para o período pós pandemia.

A APP-Sindicato realizou ainda uma live, explicando ponto a ponto da reunião. Confira:

Direção Estadual faz relato da reunião com Seed ocorrida no final desta tarde de sexta feira, 09/10.

Publicado por APP-Sindicato em Sexta-feira, 9 de outubro de 2020

Leia mais:

:: Professores(as) e funcionários(as) são contra retorno de aulas presenciais em plena pandemia
:: Em ofício, APP-Sindicato protocola abaixo-assinado contra prova para PSS
:: Governo do Paraná irá colocar vida de milhões em risco com retorno presencial das aulas
:: APP-Sindicato denuncia obrigatoriedade de escalas no meet no Ministério Público
:: Com “tratoraço”, projetos de Ratinho para militarizar escolas e alterar eleição de diretores(as) são aprovados