A Nossa luta salva vidas: Sindicato prepara materiais especiais para o período de greve

A Nossa luta salva vidas: Sindicato prepara materiais especiais para o período de greve

Mesmo com a pressão do governo, Justiça garante a legalidade da greve da categoria. Professores e funcionários da rede estadual dizem NÃO às aulas presenciais

A negligência do governador Ratinho Jr em relação à pandemia de Covid-19 no Paraná vem sendo combatida pela resistência dos(as) trabalhadores(as) em educação. Profissionais da rede estadual decidiram que ainda não é o momento do retorno presencial às aulas e a categoria segue na primeira greve pela vida da história do Sindicato.

A greve das aulas presenciais  foi deflagrada porque governo estadual não cumpriu com a promessa que as aulas voltariam somente com a imunização completa dos profissionais da educação. A manutenção das escolas abertas, bem como a tentativa de criminalizar o movimento grevista, sem ao menos dialogar com o Sindicato, é uma das formas de demonstrar o descaso com a vida de todos(as) que circulam nas escolas. “Nosso debate reforçou a importância de dialogar com pais e mães, estudantes e com a sociedade nesse período em que identificamos que o Governo de Ratinho Jr vem aprofundando o negacionismo, agravando a pandemia no Paraná”, afirma o presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão.

Como forma da subsidiar a greve, que pela primeira vez acontece com o trabalho de base sendo feito, na maior parte, de forma virtual ,a APP-Sindicato reuniu matérias, comunicados oficiais, orientações jurídicas, imagens e áudios sobre a mobilização dos(as) educadores(as) em um hotsite, um espaço de caráter temporário, para agrupar informações exclusivas sobre o desdobrar da pauta, das negociações e dos atos.

“Fazer greve em meio a uma pandemia não é uma situação simples, é algo novo. O hotsite  nos ajudar a sanar muitas dúvidas. É um espaço criado para garantir que a gente tenha acesso a toda legalidade da pauta. São orientações sobre como podemos nos posicionar frente a pressão da Secretaria de Educação, dos NRE e, eventualmente dos diretores”, evidencia a secretária de Funcionários(as) da APP-Sindicato, Nádia Brixner.

Lembrando que a greve está sendo chamada para todas as escolas em que houver a convocação para aulas presenciais, cerca de 90% da rede pública estadual. Nas escolas onde não há aulas presenciais, a orientação é para que os(as) funcionários(as) trabalhem em regime de escala para a manutenção dos serviços essenciais como entrega de material escola e merenda.

 

Neste próximo sábado (31), a APP-Sindicato realiza uma nova assembleia da categoria para avaliar a greve e as mobilizações, além do chamamento do retorno das aulas presenciais nas escolas. Para participar, é preciso fazer o cadastro prévio, disponível aqui.

“A greve é o último recurso que temos quando governos autoritários como Ratinho Jr se negam ao diálogo e tentam impor uma política de morte e destruição de direitos”, enfatiza o presidente do sindicato, ressaltando que o jurídico da APP-Sindicato tem atuado incansavelmente para garantir o direito dos trabalhadores representados”, garante o presidente do Sindicato, professor Hermes Silva Leão.

:: Confira aqui os materiais gráficos da campanha Nossa Luta Salva Vidas

:: Veja aqui os materiais enviados aos Núcleos Sindicais (áudio para carro de som, arte para outdoor, cards para internet e muito mais!)