A luta pela Escola Pública

A luta pela Escola Pública


Algumas escolas estaduais buscam iniciar as aulas seguindo protocolos de distanciamento (Foto: Nelson Almeida/AFP)

   “O rigor dos saberes deve ser protegido dos interesses mercantis específicos de empresas” – Arquivo / EBC

As entidades nacionais da educação e representação da classe trabalhadora realizarão, neste dia 31 de março, uma plenária virtual em defesa da educação pública. A plenária será aberta a todas e todos que defendem essa ideia e você, da área da educação, pode e deve participar, fazendo sua inscrição através de um formulário [inscrições encerradas].

Precisamos juntar janela para combater como formas de mercantilização e privatização da escola pública que, muitas vezes de modo escamoteado, avançam em nosso país. A Constituição Federal do Brasil afirma que a educação é um direito de todos e todas e um dever do Estado e da família, e que será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade. Este direito humano à educação está sob um feroz ataque, através de medidas aprovadas no Congresso Nacional, um exemplo da Emenda Constitucional n ° 95 de 2016, que reduz os investimentos em educação pública até o ano de 2036. Somente de 2017 até 2020, essa medida reduziu em mais de R $ 75 bilhões de reais os recursos da União que utilizou as medidas para a educação básica pública nos Municípios, Estados e Distrito Federal.


Leia a matéria completa em: CNTE