Defe discute realização do censo dos trabalhadores de escola

Defe discute realização do censo dos trabalhadores de escola


null
Departamento de Funcionários da Educação (Defe) se reuniu nesta segunda-feira (27) para discutir os pontos do Plano Nacional de Educação (PNE) que preveem a valorização dos funcionários das escolas. Entre as ações previstas no projeto do PNE que tramita no Legislativo, está a realização do censo desses profissionais.

Segundo o coordenador do Defe, Edmilson Lamparina, o levantamento vai fornecer informações sobre as carências desses trabalhadores. “É muito importante sabermos qual a situação de cada um, em cada escola desse país. Saber o que ele sofre, para tentarmos melhorar, com políticas nacionais, todas essas questões que hoje atrapalham a vida do trabalhador”, afirma.

O censo será feito pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com supervisão da Secretaria de Articulação com Sistemas de Ensino (Sase) do Ministério da Educação. O titular da Diretoria de Valorização dos Profissionais de Educação do MEC, Antônio Lambertucci, participou da reunião do DEFE e ressalta a importância do levantamento.

“O Censo de funcionários de escola é um instrumento muito importante para a elaboração de políticas públicas, seja por parte da União, estados e municípios, dirigidas tanto à formação quanto à carreira e a valorização dos profissionais da educação”, explica Lambertucci.

Outro assunto da pauta foi a criação do Curso de Tecnologia em Processos Escolares, tema de projeto de lei da ex-senadora Fátima Cleide (PT-RO), que já foi aprovado no Senado e agora tramita em caráter terminativo na Câmara dos Deputados, sob o número 2142. Os membros do Departamento pretendem pressionar os deputados federais para que eles votem o projeto o mais rápido possível.

Na reunião foi discutido o exemplo do Acre, primeiro Estado a implantar o curso, antes mesmo da aprovação do projeto de lei. A aula inaugural foi realizada no dia 23 de janeiro, no município de Cruzeiro do Sul, e no dia 30, na capital Rio Branco. “É um pioneirismo, mesmo antes da aprovação desse PL. Então esse é um dos motivos que estamos fazendo esse debate, porque já temos um estado que está implementando antes de ter uma lei aprovada”, afirma Edmilson Lamparina.

Fonte: CNTE

Isso vai fechar em 0 segundos

MENU