Sessão na Alep faz entrega do Prêmio Orirerê

Sessão na Alep faz entrega do Prêmio Orirerê


null

Sessão solene da Assembleia Legislativa do Paraná, presidida pelo deputado Professor Lemos (PT), na manhã desta terça-feira, Dia da Consciência Negra, serviu para a entrega do Prêmio Orirerê – Cabeças Iluminadas 2012, iniciativa do Centro Cultural Humaitá, com apoio da APP-Sindicato, que visa à partilha de conhecimentos e promoção da reflexão para efetiva inserção dos conteúdos indígenas, africanos e afrobrasileiros no cotidiano escolar, como preconizado nas leis federais 10.639 e 11.645.

Os projetos foram avaliados pela Secretaria de Estado da Educação, Secretaria Municipal de Educação de Curitiba, Fórum Permanente de Educação para as Relações Étnico-raciais, Conselho Municipal e Estadual de Educação. Dos 55 trabalhos inscritos, 19 foram premiados.

Na cerimônia de entrega, que contou na mesa de trabalhos com a presença da presidenta da APP-Sindicato, Marlei Fernandes de Carvalho, houve duas apresentações musicais de trabalhos premiados: do coral de alunos do Colégio João XXIII, de Campo Largo, coordenado pelo professor Rubivan Rodrigues da Silveira, que entoou o hino nacional da África do Sul, e do grupo de percussão Tamborerê, do Colégio Algacyr Munhoz Mader, de Curitiba, sob regência do professor Nelson Sebastião. Houve ainda a recitação de um poema de Adegmar Silva Candieiro, do Centro Humaitá.

O deputado Professor Lemos enalteceu a iniciativa em se promover a cultura africana no país e relatou as dificuldades por que passaram iniciativas legislativas neste sentido. Projetos de Lemos para instituir o feriado estadual de 20 de novembro, para criar o Estatuto da Igualdade Étnico-Racial no Paraná e para rever os critérios para cotas raciais em concursos públicos foram todos rejeitados. Hoje à tarde, Lemos apresenta à apreciação da Casa projeto que cria a Semana da Consciência Negra no Estado, para levar o Poder Público estadual, nos três poderes, a integrar as celebrações.

O secretário de Imprensa e Divulgação da APP-Sindicato, Luiz Carlos Paixão da Rocha, fez um pronunciamento observando a importância da data, que lembra o martírio de Zumbi dos Palmares, e do histórico de lutas do povo negro no Brasil pelo reconhecimento de sua identidade cultural. Paixão ainda prestou uma homenagem ao professor Nivaldo Arruda, conhecido como Paulo Borges, por sua dedicação à causa dos negros e da africanidade no Paraná.

 

Conheça os projetos premiados na categoria individual

  • Marlene Oliveira de Brito, de Bauru, SP “O corpo todo conta um conto”
  • Silvana Maria de Lara, de São José dos Pinhais “Conexão Brasil-África – a arte e o sagrado em sintonia”
  • Edina Brito Jensen, de Carambeí “Indígenas em destaque”
  • Rubivan Rodrigues da Silveira, de Campo Largo “Passaporte para a África – Berço da Civilização e do Conhecimento”
  • Nilo Silva Pereira Netto, de Curitiba “A capoeira como conteúdo da Educação Física escolar”
  • Nelson Sebastião, de Curitiba “Tamborerê” (ampliado)
  • Rosângela Accioly Lins Correia, de Lauro de Freitas, BA “Akpalô – Nossa História”
  • Miria Colis, de Campina Grande do Sul “A África em mim”

Categoria Projetos em Equipe

·        

Isso vai fechar em 5 segundos

MENU