Curitiba participa das 24 Horas de Ação Feminista

Curitiba participa das 24 Horas de Ação Feminista


null

No dia 10 de dezembro de 2012, cada país membro da Marcha Mundial de Mulheres organizará uma ação de uma hora, sempre do meio até à uma hora da tarde (12h às 13h). “Criticando o avanço do capitalismo queremos lutar contra as formas de avanço do patriarcado, expropriação dos territórios e mercantilização da vida”, informa Marisa Stedil, secretária da Mulher Trabalhadora CUT PR

No Brasil a Secretaria Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT indica ato em solidariedade com a luta das mulheres do município de Apodi no estado do Rio Grande do Norte.

Em Curitiba o ato será às 11h30 na Boca Maldita.

A situação em Apodi:

Há um projeto do agronegócio que prevê a desapropriação de 13 mil hectares, expulsando, assim, mais de 150 famílias de suas casas.

No caso desse projeto ser implementado, destruirá o modo de vida e cultura de uma comunidade que exerce uma produção de alimentos voltada aos princípios da soberania alimentar sem o uso de agrotóxicos e sem concentração de terra.

Queremos, ao apoiar essa luta concreta, além de demonstrar nossa solidariedade, visibilizar nossas lutas em todo o Brasil contra o machismo patriarcal e capitalista que nos impõe a violência diária, a pobreza, à desigualdade e utiliza de diversos mecanismos para impedir nossa soberania e autonomia.

Apoio ao Estado Palestino

Neste dia 10 o mundo também comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos e o movimento sindical também aproveita para apoiar a luta da causa palestina.

O QUE É A MARCHA?

A Marcha Mundial de Mulheres é um movimento permanente, feminista, anticapitalista presente em muitos países. Pretende construir um internacionalismo que seja enraizado em lutas locais, rompendo o isolamento com as comunidades que sofrem com os impactos do avanço do capitalismo nas diversas esferas de suas vidas.

A CUT faz parte da MMM no Brasil, pois juntas podemos ter mais força contra o capitalismo patriarcal, suas práticas e discursos.

Para avançar nessa visão e atuação seremos parte das 24 Horas de Ação Feminista que ocorrerá em diversas partes do mundo, para que na solidariedade internacional possamos fortalecer as lutas locais.

Neste sentido, orientamos as secretarias de mulheres das CUTs estaduais e dos ramos para que junto com os comitês da Marcha Mundial das Mulheres em seus estados e municípios atuem e reforcem a ação local em solidariedade a luta das mulheres em Apodi.

Lembrando: POR QUE SOMOS CONTRA O PROJETO DE IRRIGAÇÃO EM APODI?

O projeto vai entregar as terras da chapada e a água da Barragem de Santa Cruz para 05 empresas do agronegócio; O projeto vai expulsar centenas de famílias de pequenos agricultores e agricultoras de suas terras; O projeto irá fazer desaparecer várias comunidades; O projeto vai provocar o envenenamento das terras, das águas e da população; O projeto vai acabar com a produção de mel, da caprinocultura, da avicultura, etc; O projeto vai acabar com a produção agroecológica das comunidades; O projeto vai provocar a escassez de água para os produtores de arroz do vale; O projeto vai provocar, a exemplo de outros perímetros irrigados, a miséria, a prostituição e a violência no município de Apodi.

Fonte: CUT

 

Isso vai fechar em 5 segundos

MENU