Curso de Formação debate cultura latina

Curso de Formação debate cultura latina


null
“Estado, Educação e movimentos sociais na América Latina”, esses são os temas que embasam as discussões do curso de Formação da APP-Sindicato realizado entre os dias 21 e 23 de julho. Na tarde desta segunda-feira (22), o debate no auditório da entidade foi conduzido pela professora Francys Mary Guimarães Nogueira e pela secretária de Formação da APP, professora Janeslei Albuquerque.
O painel iniciou com a contextualização cultural sobre as artes latinas. “Este espaço serviu para mostrar que a mesma ideologia que nos afasta como povo também nos distancia de conhecermos as riquezas humanas,artísticas literárias e estéticas.” analisa a professora Janeslei Albuquerque.
O papel da educação na formação social permeou os debares sobre as experiências revolucionárias bolivarianas e sobre o modelo constituição sustentada pelo poder popular. Neste contexto, a luta da Venezuela pelo acesso às condições básicas de moradia, trabalho e cultura ganhou destaque nas discussões.  A professora Francys Mary, partilhou seus conhecimentos sobre o cotidiano do país e a missão educacional dos professores e professoras locais. “Lá, observamos um grande avanço cultural em relação ao Brasil. Grande parte dos livros que o Ministério da Cultura publica são doados. Quer dizer, em todos os espaços as pessoas ganham livros. Observamos ainda que no país existem aproximadamente 100 orquestras juvenis organizadas. Isso em um país que, há 15, 16 anos atrás, a maioria esmagadora da população vivia abaixo do índice de pobreza”.
Aos(às) educadores(as) presentes a professora indicou uma análise sobre a filmografia latina por meio dos filmes “Azul, y no tan rosa” e  “Hermano“, ambos venezuelanos. O primeiro narra uma história sobre os direitos homoafetivos enquanto o segundo aborda a importância cultural dos esportes na construção do nacionalismo local. Os filmes servem de cenário para a compreensão do contexto de vida dos povos irmãos.
 
A professora comentou ainda sobre os legados educacionais e pedagógicos de pesquisadores como Austregésilo Carrano Bueno e Paulo Freire nas universidades venezuelanas.”O governo têm apostado na ampliação das universidades bolivariana;, os institutos federais estão sendo transformados em centros universitários técnicos para alavancar a produção industrial local”, relata a professora.
A formação dos educadores e educadores paranaenses pautada nas vivências latinas oferece uma reflexão sobre o papel da educação diante da formação ideológica dos(das) cidadãos(ãs). “A escola é sempre um local de construção de saberes porque também trabalhamos com as ideias, Por isso nós professores temos que ter a clareza de que a orientação que nós transmitimos é para a conversação ou para se juntar ao conjunto de outros movimentos sociais para se romper com esse status quo”, suscita a professora.
 
O curso de formação entra, amanhã (23), em seu terceiro e último dia dessa etapa. Confira a programação.

Isso vai fechar em 0 segundos

MENU