Nota da APP sobre o resultado do concurso para professores(as)


null

A direção da APP-Sindicato vem mais uma vez a público demonstrar a sua contrariedade e o seu repúdio à forma como tem se desenvolvido o concurso público para professores(as) realizado no último dia 18 de maio.

O concurso público foi realizado a partir de um intenso processo de reivindicação do sindicato, a fim de garantir melhores condições de trabalho e valorização profissional para os professores e professoras paranaenses. O anúncio feito pelo governo de atendimento do nosso pleito foi comemorado por toda a categoria como uma importante conquista. Ganharia o(a) professor(a) e a educação.

Porém, esta conquista está sendo corroída por uma série de problemas organizativos, e de desrespeito aos candidatos e candidatas, desde o dia de realização do concurso público. As reclamações são muitas: péssima logística no dia da prova, questões mal elaboradas, dúvidas no processo de correção e, especialmente, problemas relacionados ao direito dos candidatos e das candidatas aos recursos. Além de prazos insuficientes e respostas que, em boa parte das vezes, se norteiam por situações técnicas e não dos conteúdos em si levantado pelos requerentes.

Em todo o processo, a APP tem levado à Secretaria de Educação todos estes problemas verificados no processo do concurso público, e, ao mesmo tempo, orientado e disponibilizado o Departamento Jurídico da entidade para defender aqueles professores (as) que se sentiram prejudicados. Procedimento que pode ser comprovado em nota publicada no site no dia 13 de junho.

A situação se agravou ainda mais com a publicação, no dia de ontem (22), pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR), do resultado da Prova de Conhecimentos, fases 1 e 2 (redação). Esta apresenta a reprovação da maioria dos candidatos na prova de redação. E o pior: até o momento, os candidatos e candidatas estão enfrentando dificuldades para ingressarem com recursos. 

A PUC, desrespeitando o próprio edital, não disponibilizou a redação e o resultado detalhado da avaliação no ambiente do candidato. Para piorar, respostas escritas dadas pelo sistema de atendimento do concurso demonstram um seríssimo grau de desorganização. Temos o exemplo de uma candidata de determinada disciplina que recebeu uma resposta como fosse de outra disciplina, e de outra região do Estado. Com tudo isto, só amplia ainda mais nossa preocupação com os critérios que serão utilizados na realização da próxima etapa do concurso: a prova prática. Será mais uma forma de exclusão e não de avaliação?

Enfim, a APP-Sindicato está fazendo todos os esforços para que os prejuízos e possíveis injustiças sofridas pelos candidatos e candidatas sejam resolvidos. Como entidade, não temos a prerrogativa de solicitar judicialmente a correção destes problemas. Somente os candidatos prejudicados podem fazê-lo. Assim, mais uma vez, além de cobrar da Secretaria de Educação uma ação política para garantir, de fato, que cada candidato e candidata tenha o direito ao recurso, e que os critérios avaliativos sejam justos, a diretoria da APP coloca mais uma vez o seu Departamento Jurídico, e o Serviço de Atendimento ao Sindicalizado (SAS), à disposição dos seus sindicalizados.

A Secretaria de Educação e o governo do Estado do Paraná precisam agir com rapidez, a fim de que este concurso se consolide como uma conquista para a educação do Paraná.

APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná