17 de Maio: Dia Internacional contra a LGBTIfobia

Respeito e sem preconceito, a data é uma conquista diária e que emociona

Contra todos os preconceitos e a favor do amor pela vida, somos todos(as) seres humanos, independentemente da  orientação sexual e identidade de gênero. A vida é uma só – liberdade para ser quem somos – e respeito é o mínimo que se espera. Vamos fazer uma saudação ao Dia Internacional contra a LGTBIfobia – Discriminação contra Lésbicas, Gays, Bissexuais, pessoas Trans e Intersexo (IDAHOT), pois é uma conquista merecida e que se resume em reverência pela vida e pelo(a) próximo(a).

Dia 17 de maio é uma homenagem e também um momento de conscientização. A data foi escolhida porque neste dia em 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aboliu a homossexualidade da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID). Declarou-se que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão”.

Ontem, hoje e amanhã não pode faltar o símbolo do arco-íris, entre outras bandeiras que representam a luta por igualdade e dignidade – e que deixa para todos(as) uma lição de humanidade – e a retrospectiva da constante defesa da democracia, dos direitos e da liberdade, assim como afirma a direção da APP-Sindicato em seus debates e ações promovidas.

A vida é uma escola pela construção sem LGBTIfobia – O secretário Executivo da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBT, professor Clau Lopes, ressalta a importância em abordar e acolher alunos(as) LGBTI+ longe da violência e do preconceito no ambiente escolar. “Nós, professores e funcionários de escola, temos muito trabalho a fazer. Os estudantes e educadores  estão nas escolas em busca de um local seguro, inclusivo e de respeito pela diversidade das estruturas familiares, orientação sexual e identidade de gênero. Uma escola livre do preconceito e da discriminação oferece a todos o direito a um futuro digno”.

Boa leitura!

Nada Vence o Amor

Eles nunca aceitaram nosso direito de amar!

E por isso tentaram por tanto tempo trancar a gente no armário.

Nós vimos os olhares de julgamento, ouvimos os comentários absurdos, sentimos no corpo e na alma a violência.

Nunca nos aceitaram como realmente somos.

Nos ameaçaram, nos bateram, nos mataram.

E cada vez que a gente caiu, levantamos mais forte.

Você pode pensar que eu estou falando do passado, mas isso está presente em nossas vidas até hoje.

Por isso, vamos continuar firmes nas nossas lutas como fizemos tantas e tantas vezes.

Ainda mais unidos, ainda mais unidas!

E agora que a gente já saiu do armário ninguém volta.

Nós vamos continuar com a cabeça erguida. Vamos continuar orgulhosos de quem a gente é, e nós não vamos de jeito nenhum abrir mão do amor.

A gente vai responder o preconceito com informação. A gente vai combater ignorância com respeito.

E não vamos parar até acabar a violência contra nós.

Sabe por que a gente tem tanto orgulho da nossa história?

Porque ela é feita de resistência!

E pro ódio a gente sempre vai gritar: “Nada vence o amor!”

(Por Secretaria LGBTI Nacional)

Confira o longa-metragem “Onde Os Outros Não Existem”:

Vídeos para assistir e refletir:

:: A dor da homofobia (aqui)

:: E se fosse com você? (aqui)

:: ONU pela diversidade LGBT e lutra contra homofobia (aqui)

:: Combater a Homofobia e a Transfobia (aqui)

:: Por que 17 de maio é o Dia Internacional contra a Homofobia? (aqui)

Confira o Jornal 30 de Agosto Especial:

30Agosto_especial_17maio