Última sessão legislativa antes do recesso é marcada por protestos dos servidores

FES marca presença nas galerias e cobra: Data-base continuará sendo uma dívida?

No último dia de trabalho antes do recesso de julho, deputados(as) estaduais realizaram uma sessão que ficou marcada pelas palavras de ordem dos(as) servidores(as): ‘Data-base é dívida’ e ‘Chega de calote’. Os gritos ecoaram por todo o Plenária da Assembleia Legislativa do Estado (Alep) e foram um protesto contra a decisão da governadora Cida Borghetti (PP) de retirar de tramitação o projeto de lei da data-base.

“Quando o governo congela salário de professores e funcionários e alegando falta de dinheiro, isso é uma forma de demonstrar desrespeito ou má administração. É uma sensação muito grande de revolta e humilhação”, revolta-se a professora aposentada Maria Eva Rodrigues Gonzalez Fantin de Cianorte.

O calote manterá o salário dos(as) servidores(as) do Executivo congelados pelo terceiro ano consecutivo. A decisão do governo contraria as promessas de diálogo e valorização do funcionalismo público afirmadas em discursos anteriores pela governadora.

A APP-Sindicato e os demais sindicatos de servidores(as) continuam a pressão sobre o governo para que o reajuste seja pago e os demais itens da Campanha Salarial sejam cumpridos.  “Temos feio uma luta muito importante, saímos de um cenário sem diálogo e avançamos para um projeto de lei de recomposição. A nossa mobilização recoloca em pauta o tema da valorização dos servidores públicos do Estado. A governadora que tomou posse se embasando querendo restabelecer um cenário de diálogo e respeito precisa compreender que é a maioria da população do Paraná que precisa e depende de serviços públicos de qualidade”, reafirma o presidente da APP-Sindicato professor Hermes Silva Leão.