“Tá na pauta. Tô na luta”: assembleia define calendário de mobilizações


Foto: Comunicação APP

Educadores(as) seguem na luta pela Campanha Salarial e em defesa da Democracia

A categoria precisa urgentemente de soluções efetivas para a pauta da educação. Diante do período de ataques à democracia e da necessidade de melhorias na carreira e na infraestrutura das escolas, os(as) educadores(as) paranaenses decidiram, na manhã deste sábado (21) em assembleia, que continuarão buscarão soluções para a pauta.

Além da aprovação da prestação de contas e do plano orçamentário para 2018, os(as) sindicalizados(as) definiram as tarefas centrais da luta política em defesa da democracia e em defesa da educação pública. Confira quais são:

  1. Reforçar os comitês populares em Defesa da Democracia, contra o golpe no Brasil e pela liberdade de Lula.
  2. Intensificar a luta pelo avanço da pauta da Campanha Salarial 2018.
  3. Resistência contra a implantação da Reforma do Ensino Médio e Base Nacional Curricular Comum (BNCC). Realização de Seminários nos Núcleos Sindicais da APP. Ações nas escolas e diálogo com estudantes, pais, mães e responsáveis
  4. Construir o Congresso do Povo em cada município nas regionais dos Núcleos Sindicais.
  5. Intensificar a participação nas tarefas da Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo.
  6. Intensificar a luta contra as perseguições, as denuncias e o assédio. Na defesa da liberdade de atuação sindical e pela anistia e arquivamento de processos investigativos contra professores(as), funcionários(as) e estudantes decorrentes das mobilizações de greve e ocupações das escolas.
  7. Recepções a governadora e representantes do governo nas regiões para cobrança da pauta da campanha salarial
  8. Formação de uma frente parlamentar em defesa da Campanha Salarial dos(as) educadores(as)

Calendário de atividades e mobilizações

24 de abril – Mobilização na ParanaPrevidência pela não aprovação das contas do balanço financeiro de 2017 (terça-feira, 9h).

26 de abril – Aniversário de 71 anos da APP-Sindicato. Série especial de reportagens sobre os fatos marcantes da história. Campanha virtual nas redes sociais do Sindicato.

29 de abril – Data em que o Massacre do Centro Cívico completa três anos. Intensificação da Campanha “RichaNuncaMais”, mobilização nas redes sociais nos dias 28 e 29 de abril e realização de atos e panfletagens nas regionais.

01 de maio – Ato Nacional das Centrais Sindicais na Praça Santos Andrade (Praça da Democracia), em Curitiba (terça-feira, 14h).

04 e 05 de maio – Etapa estadual do programa estadual de formação sindical da APP e Seminário Estadual sobre Gestão e Finanças, com presidentes(as), secretários(as) de finanças e funcionários(as) da APP.

17 de maio – Dia Internacional de combate à LGBTfobia com atividades nas escolas (quinta-feira).

22 de maio – Mobilização estadual pela pauta da Campanha Salarial com ato estadual e atos regionais (terça-feira).

22 a 26 de maio – Marcha Nacional e Conferência Nacional Popular (Conape), em Belo Horizonte.

08 de junho – Etapa estadual do Congresso do Povo, em Curitiba.

22 de junho – Fórum Paranaense da Diversidade Étnico Racial, em Guarapuava.

Plenária estadual de atualização da pauta: em defesa da democracia e da educação pública – debate com os(as) candidatos(as)  ao governo do Estado do Paraná.

Maio, junho e julho – Plenárias nas escolas e Núcleos Sindicais da APP.

Julho e agosto – Plenária estadual e realização da assembleia.

30 de agosto – Dia de Luto e de Luta! Paralisação com ato estadual em Curitiba. Data dos 30 anos da violência do governo Álvaro Dias e 3 anos do Massacre do Beto Richa (Richa e Álvaro, nunca mais).

Setembro – Debate com os(as) candidatos(as) ao governo do Estado.

Foram também aprovadas duas moções de apoio, a primeira, em apoio à greve de trabalhadores(as) da rede bancária de Maringá e, a segunda, apoio ao livre exercício de trabalho do desembargador Olympio de Sá Sotto Mayor.

Eleições de direções municipais – Foram realizadas 153 assembleias municipais para representantes municipais, no entanto, em 41 municípios, não regularizaram a situação. Considerando as justificativas apresentadas e os termos de acordo com o Regimento de Eleições da APP-Sindicato, foi proposto e aprovado na assembleia deste sábado:

  1. Referendar as direções eleitas após o prazo estipulado no Regimento.
  2.  Alterar o Regimento e fixar a data de 30 de junho de 2018 como novo prazo limite para realização das assembleias municipais de eleição de diretores e diretoras municipais.
  3. Aplicar as sansões estabelecidas no Regimento das Eleições, excluindo do cálculo de representação dos NS, o número de sindicalizados e sindicalizadas, em desacordo com o disposto no artigo 9 do Estatuto (§1), até que haja sua regularização, ressalvadas as excepcionalidades já definidas anteriormente pela entidade.
  4. Estabelecer que as restrições aplicadas no item anterior se estendem às redes municipais que não regularizaram suas direções municipais até a nova data estabelecida nesta Resolução (30 de junho de 2018).
  5. Estabelecer obrigatoriedade de publicação de editais das Assembleias Remanescentes de Eleição das Direções municipais na Página da Educação, bem como nos meios de comunicação online da APP-Sindicato, para fins de plena publicidade ao processo de eleição, independente da necessidade de publicação em outros espaços.

Baixe aqui o arquivo com as deliberações da Assembleia Estadual da APP