Seminário da APP: apresentação da pesquisa que abrange a saúde dos(as) educadores(as)


Fotos: APP-Sindicato

O “Seminário Assédio Moral, Condições de Trabalho e Adoecimento” segue neste sábado (27) até o final do dia. Pela manhã, ocorreu a exposição de vários pontos da pesquisa “Identificação dos Processos Críticos Protetores e Destrutivos da Saúde dos Professores da Secretaria de Estado da Educação do Paraná”, apresentada pelo professor e médico Guilherme Souza Cavalcanti de Albuquerque.

O início do projeto em 2011, decorreu dos argumentos da APP-Sindicato que relatou e apontou várias situações que resultam até hoje nos constantes adoecimentos dos(as) educadores(as). Assim, a pesquisa foi elaborada em parceria da APP com o Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva, da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Para a coleta de dados, mais de mil professores(as) preencheram a pesquisa on-line direcionada a estes profissionais da educação.

O professor Guilherme destaca os resultados como impactantes e que demonstram o alto grau de sofrimento mental dos(as) professores(as) – que é o mais frequente. “A pesquisa mostra que os professores têm altíssima prevalência de sofrimento mental, maior do que outras parcelas da população, como moradores de ruas e policiais militares – que são grupos populacionais que também têm alto grau de sofrimento -, principalmente em relações às condições de trabalho”. Entre os fatores que se sobressaíram estão levar trabalho para casa, número de alunos(as) por turmas, professores(as) que trabalham em diversos turnos em escolas diferentes, por exemplo. “Não é uma pesquisa, mas sim um processo de continuidade”, enfatiza o professor Guilherme de Albuquerque.

Assim, através de um rol de fatores, a seriedade que recai no cenário escolar foi apresentada. Parte dos resultados está sendo divulgada em eventos e existem três artigos elaborados (ainda não publicados) e submetidos às revistas científicas da área de saúde coletiva, explica o professor.

A manhã também foi destinada para a oficina “Elaboração da Matriz de Processos Críticos da Saúde dos Professores”. Os(as) participantes foram divididos(as) em sete grupos, com dinâmica interativa. Momento para soltar a voz e mostrar a realidade nos ambientes escolares.

A secretária de Finanças da APP, professora Marlei Fernandes, agradeceu a presença de todos(as) no segundo dia do Seminário, que se encerra hoje à tarde, na sede do Sindicato. “O tema é muito importante para todos nós e, principalmente, para a categoria chegar a processos coletivos mais identificados na perspectiva de superação desses problemas. É um programa piloto sobre o adoecimento dos professores, almejando expandir a todos os educadores”, enfatiza Marlei Fernandes.

Leia mais:

::APP traz para dentro do Sindicato o debate sobre assédio moral e adoecimento da categoria::

::“Nossa voz é o que nos fortalece”: seminário sobre assédio moral debate a saúde dos(as) trabalhadores(as)::