Plenária estadual do Congresso do Povo vai debater construção da hegemonia popular

APP-Sindicato estará presente no evento com delegação de trabalhadores(as) na educação

A capital paranaense sedia nesta sexta-feira (8) uma plenária estadual do Congresso do Povo, uma iniciativa inédita no cenário político brasileiro que está mobilizando trabalhadores(as) em todos os cantos do país em torno da ideia de “construir com o povo e para o povo um projeto de nação”.

O evento será realizado das 8h30 às 12h, no teatro da reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O integrante da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Neuri Rossetto, vai ministrar palestra com o tema “Projeto para o Brasil e construção da hegemonia popular”. A programação continua com debates e encaminhamentos.

De acordo com a secretária de Organização da APP-Sindicato, Tereza Lemos, a plenária é aberta a toda a comunidade e está prevista a participação de representantes dos comitês municipais do Congresso do Povo, além de militantes do MST. Segundo a dirigente, a APP-Sindicato é uma das entidades organizadoras e estará presente com uma delegação de 30 trabalhadores(as) da educação.

A voz do povo – Lançado em dezembro de 2017, durante a 2ª Conferência Nacional da Frente Brasil Popular (FBP), o Congresso do Povo é uma resposta contras ameaças ao Estado Democrático de Direito, as reformas e retiradas de direitos que atingem os(as) trabalhadores(as) e uma estratégia para organizar a população na busca de garantir sua voz nas decisões políticas.

Para a secretária de Organização da APP-Sindicato, é importante que, tanto professores(as) quanto funcionários(as) de escola, se articulem em seus municípios com demais sindicatos e movimentos sociais para organizar o Congresso do Povo. “É um um espaço e uma oportunidade para debater com a população sobre esse momento crítico que estamos vivendo”, disse.

Tereza explica que a ideia principal é fazer o debate político nas comunidades. “O que interessa é o trabalho de base, a partir da realidade local e necessidades de cada comunidade. A tarefa é fazer o debate político da democracia no país, contra o ataque aos nossos direitos”, explica.

Calendário – Segundo a dirigente, para garantir a participação de todos no processo e a expansão de mais comitês municipais pelo estado, algumas datas do Congresso foram alteradas. Ela explica que as etapas municipais poderão ser realizadas até o dia 15 de agosto e a nacional vai ser definida depois das eleições. Uma nova data para a etapa estadual também será escolhida.

Leia mais
:: Congresso do Povo mobiliza classe trabalhadora nos municípios paranaenses
:: Estatuto do Trabalho: uma nova CLT em construção
:: Jornada da Agroecologia traz para Curitiba feira, shows nacionais, oficinas e debates