• 19 de abril de 2017

Plataforma pressiona parlamentares a votarem contra a reforma da Previdência

De maneira interativa, a plataforma busca ser um instrumento de pressão em defesa da aposentadoria

O posicionamento de cada deputado em relação à polêmica reforma da Previdência agora pode ser acessado de forma fácil e rápida por meio do Placar da Previdência. A plataforma, lançada nesta quarta-feira (18), foi criada como “um instrumento de pressão em defesa da aposentadoria e contra a reforma da Previdência”, como definem os articuladores da iniciativa – jornalistas, ativistas e hackers da redelivre.org, junto a entidades do movimento popular e sindical.

De uma maneira interativa e de fácil manuseio, o Placar se coloca ao lado da “pressão que acontece nas ruas” contra o projeto do presidente golpista, Michel Temer (PMDB).

Segundo o site, o objetivo é que as pessoas possam enviar um e-mail, com apenas um clique, para todos os deputados, demonstrando seu descontentamento com a medida. Segundo os organizadores, “a reforma da Previdência vai prejudicar o povo brasileiro, principalmente os trabalhadores mais pobres, professores e outros funcionários públicos, a juventude, as mulheres, os trabalhadores rurais e os pensionistas”.

Além do posicionamento dos deputados, o site traz subsídios informativos sobre a reforma e os principais pontos em debate, como o suposto déficit da Previdência, a forma que ela atingiria a vida das pessoas e o fato dela afetar mais de 500 cidades brasileiras que contam com o benefício como principal elemento da sua economia. E também quem são os grandes interessados nessas mudanças, que, no caso, teria “um único beneficiário: os bancos que vendem planos de previdência privada”.

Acesse placardaprevidencia.com.br para mais informações.

Edição: Vivian Fernandes

Fonte: Brasil de Fato

Rodrigo Maia manobra e Câmara aprova urgência para Reforma Trabalhista

Mais uma vez de forma autoritária, a Câmara dos Deputados, sob a batuta do presidente Rodrigo Maia, atropelou o regimento interno…

APP cobra deputados(as) federais: não aprovem a reforma da previdência!

1010Após a paralisação nacional dos(as) trabalhadores(as) no dia 15 de março, demonstrando total contrariedade à reforma da previdência, os(as) educadores(as)…

Secretaria revogará instrução que mudava a jornada das(os) pedagogas(os) e readaptadas(os), segundo NRE de Curitiba

Dirigentes e assessores(as) do Sindicato distribuíram um manifesto contra a proposta do governo de alterar a jornada de pedagogos(as) e…
617Dias 10Horas 38Minutos 10Segundos

Eventos

No dia 26/04, a APP-Sindicato comemora 70 anos de luta e resistência em Defesa da Escola Pública” e neste dia fará essa comemoração nas Praças Públicas e nas escolas, com panfletagem e diálogo com a população.

Seminário e oficina estadual sobre assédio moral e adoecimento dos(as) trabalhadores(as) em educação

Data inicial: 26 de abril de 2017

Data final: 27 de abril de 2017

Local: a definir

A APP-Sindicato realizará neste dia um Seminário e uma oficina estadual que traz como tema principal o assédio moral e o adoecimento dos(as) trabalhadores(as) em educação. Logo em nosso site mais informações sobre esse evento.

18ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública – CNTE.

Data inicial: 17 de abril de 2017

Data final: 28 de abril de 2017

Com o tema: “Democrática e Crítica, a Educação Pública não está à venda” a CNTE – Confederação dos Trabalhadores em Educação está promovendo, entre os dias 17 e 28 de abril, um debate nas escolas, com a comunidade escolar, nos bairros, nas feras e nos comércios sobre a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista e a Terceirização. Para além, do debate sobre o Direito à Educação Pública e de Qualidade, a Lei da Mordaça e a Reforma do Ensino Médio e destaque para os temas dos(as) funcionários(as) de escola. Clique no link http://www.cnte.org.br/index.php/campanhas/18227-18-semana-nacional-em-defesa-e-promocao-da-educacao-publica-2017.html para outras informações e acesso ao material de debate.

A Assembleia Estadual da categoria também deliberou por Greve Geral no dia 28/04 –  Dia de Luto e Luta em memória dos 2 anos do Massacre do 29 de abril, com atos estadual, regionais e nos municípios juntamente com demais sindicatos, centrais sindicais e movimentos sociais. Ato com concentração no Centro Cívico, em Curitiba.

Lançamento do livro “70 anos da APP-Sindicato”.

Data: 29 de abril de 2017

Local: a definir