Piva (Psol) participa da Sabatina da APP-Sindicato e assina carta-compromisso

Sindicato convidou todos(as) os(as) candidatos(as) ao governo do Paraná para apresentar suas propostas

O candidato ao governo do Paraná pelo Psol, Piva, participou nesta sexta-feira(14) da sabatina da APP-Sindicato com os(as) candidatos(as) ao governo do Paraná. Ele respondeu seis perguntas elaboradas pela direção estadual do Sindicato e duas enviadas por profissionais da educação.

Antes do início da entrevista, o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão, destacou a iniciativa do Sindicato, que já virou tradição, de promover debates e entrevistas com os(as) postulantes ao governo do estado, dando a oportunidade aos(às) candidatos(as) de expor suas ideias e aos(às) educadores(as) de avaliar as propostas.

Todas as perguntas feitas ao candidato foram relacionadas com a pauta da categoria aprovada em assembleia estadual. O evento foi transmitido ao vivo através da página da APP-Sindicato no Facebook e, ao final da entrevista, o candidato assinou uma carta-compromisso com as pautas dos(as) educadores(as).

Questionado se, eleito governador, vai atuar pela revogação da Emenda Constitucional 95, que congela os investimentos nas áreas sociais, e como não comprometer as políticas sociais no Paraná, o candidato respondeu que seu partido vai travar “a luta para revisão deste tipo de lei” e seu governo vai fazer uma grande revolução, cumprir a lei favorável ao povo e descumprir a lei que é favorável aos ricos.

Questionado se, caso seja eleito, quais as propostas para o combate à violência contra a população LGBTI e ações para o combate das violência no serviço público e dentro da escola, o candidato respondeu que “é importante que o Estado adote políticas para defesa dessas populações”. Piva acrescentou pretende envolver a escola na busca de alternativas e dar o devido respeito para que a escola possa dar a contribuição para um mundo melhor.

Questionado sobre as terceirizações e se, caso eleito, se compromete com a realização de concursos públicos, o candidato disse que seu programa de governo prioriza o respeito com o serviço público. Piva declarou ser contra as terceirizações e à favor do concurso público.

Questionado, caso seja eleito, como pagaria a dívida da data-base e, em relação a hora-atividade, se pretende rever o que as resoluções de distribuição de aula tiraram dos professores e retornar os 33% estabelecidos em lei, o candidato defendeu o cumprimento da lei do piso, da lei da hora-atividade e afirmou que a prioridade será reabrir turmas e escolas fechadas pelo atual governo.

Questionado se pretende equacionar o déficit de vagas do PDE e incrementar essa política, o candidato respondeu que cumprir a lei é uma obrigação e que, se eleito, vai chamar as universidades estaduais para “fazer esse trabalho de formação continuada”.

Questionado sobre suas propostas para o atendimento no SAS, prevenção da saúde laboral e condições para tratar e reabilitar servidores(as) doentes, o candidato disse que defende a redução da jornada de trabalho e que, se eleito, seu governo vai ter mais respeito com as pessoas. Disse também que pretende abrir a caixa preta do SAS, em uma ação em conjunto com os sindicatos.

Questionado sobre a Paranaprevidência, manutenção das aposentadorias, repasses não efetuado e futuros, o candidato disse que, se eleito, o tema “é mais uma coisa que o próximo governo tem que rever”.

Questionado sobre a profissionalização dos(as) funcionários(as) de escola, manutenção Pró-funcionário e cursos tecnológicos para funcionários de escola, o candidato respondeu que o programa tem que ser mantido e melhorado. Afirmou ainda que, se eleito, vai “incentivar esse tipo de coisa em conjunto comas universidades públicas”.

:: Confira no vídeo, a íntegra das perguntas e respostas do candidato.