Nota de falecimento: Jocilene Barboza e Júlio César Viana


A CNTE está de luto. É com muita dor e pesar que recebemos a notícia da perda da presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) Jocilene Barboza, 42 anos, e do companheiro, secretário de Articulação Sindical, e presidente de 1998 a 2006 (por três gestões) Júlio César Viana, 65 anos comemorados um dia antes (01.12). Ambos foram vítimas de um acidente na BR 163, em Diamantino, a 209 km de Cuiabá, quando a caminhonete Amarok deslizou na pista e bateu de frente com uma carreta.

Um aplauso para os dois que fizeram da vida uma causa de Luta. O acidente ocorreu quando eles retornavam de uma atividade do interior do Estado onde haviam feito uma atividade de formação com novos filiados que assumiram o concurso.

Jocilene Barboza era militante sindical desde 1995 quando ingressou na rede estadual, em Alta Floresta, como Técnica Administrativa Educacional, Profissionalizada pelo curso de Formação Arara Azul. Formada em Ciências Biológicas pela Unemat, e mestre em Educação pela UFMT. Natural de Fátima do Sul (MS), residia em Mato Grosso desde 1989, quando chegou em Peixoto de Azevedo e foi estudar em Alta Floresta. No Sintep/MT atuou como secretária de funcionários, secretária geral, vice-Presidente até ser eleita em 29 de junho de 2018 como a primeira mulher, negra e funcionária de escola, a Presidência do Sindicato, em 53 anos de história.

O professor Júlio Cesar Martins Viana é natural do Rio de Janeiro e veio para Mato Grosso, no ano de 1982, estabelecendo residência no município de Itaúba. Filiou-se à Associação Mato-grossense dos Professores (AMP), iniciando sua militância sindical, no ano de 1984. Durante sua trajetória como sindicalista, participou da unificação da luta e ajudou a transformar a entidade na Associação Mato-grossense dos Profissionais de Educação (AMPE), em 1987 e ajudou a construir o primeiro Estatuto do SINTEP/MT, juntamente com outros companheiros. Júlio César Viana foi protagonista da construção histórica do movimento sindical do estado e credenciou o militante para dirigir a Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Mato Grosso, sendo eleito por duas gestões sucessivas, de 2003 a 2009.

Solidariedade e sentimentos da direção da APP-Sindicato pelo ocorrido aos(às) companheiros(as) de luta diária.

Fonte: CNTE