Conape 2018: marcha em defesa da educação conclui manhã de atividades

No Paraná, participantes da Conferência Nacional Popular de Educação vão às ruas e denunciam ataques de Temer e Richa

Foi nas ruas do entorno do Colégio Estadual do Paraná que o grito de resistência e de luta por uma educação pública de qualidade ecoou alto nesta sexta-feira (09). Os(as) centenas de participantes da etapa paranaense da Conferência Nacional  Popular de Educação (Conape) realizaram, no final da manhã de debates, uma marcha em defesa da qualidade da educação e contra os retrocessos.

“Estamos em um período em que atos públicos são muito importantes. Precisamos denunciar que o Brasil está sob um golpe de redução de direitos do povo para enriquecer ainda mais os 3% que detém o poder econômico do nosso país. Esse debate precisa ser do conjunto da sociedade. Nós, da educação pública, estamos juntos nesse debate porque nós precisamos virar a página do atraso no Brasil para que a gente possa avançar”, explica o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão.

A vice-presidente da CNTE, professora Marlei Fernandes de Carvalho, puxou o coro de trabalhadores(as) que defendem um país mais justo e solidário que inclua todos e todas. “A marcha é um esforço coletivo para mostrar nas ruas que defendemos e lutamos pelos direitos dos trabalhadores e por uma escola pública com condições reais de ensino e aprendizado”, reforça.

A marcha seguiu do Colégio Estadual até a praça 19 de dezembro, no Centro da Capital, e pode ser vista na fanpage da APP-Sindicato. A iniciativa é uma das formas de não aceitar as imposições arbitrárias do governo Temer e o calote e ameaças do governo Richa. “A gente precisa sair das casas, sair de frente das telas da televisão e que a gente vá para o espaço público fazer a denuncia e afirmar que a gente precisa de um Brasil que seja para a maioria do seu povo, que seja para os brasileiros”, propõe Hermes.