• 9 de janeiro de 2017

Cercado de cobranças, Richa terá que pagar a dívida das promoções e progressões. Implementação ocorre em janeiro!

Resistência e luta da APP são pelo pagamento dos direitos sempre em dia. Vale lembrar, que governo continua em débito com a educação

Apesar da tentativa de parecer generoso, Beto Richa acumula pendências com a educação

É conquista da luta dos(as) trabalhadores(as) e não benesse! O governador Beto Richa veio a público, no final desta sexta-feira (06), informar sobre a implementação das promoções e progressões atrasadas. No site do governo do Estado, a matéria anunciando o pagamento do “benefício” aparece em destaque.

O governador parece não contar com a memória recente dos(as) paranaenses, com a atuação da APP-Sindicato e com a revolta dos aproximadamente 70 mil educadores(as) que estão com seus salários defasados por conta do atraso na implementação dos DIREITOS.  O pagamento das promoções e progressões foi pauta da greve da educação de 2016. Durante toda a série de reuniões com o governo do Estado e com a Seed, a APP levou a aflição dos(as) servidores(as) e denunciou o desrespeito com a categoria em cada uma das mesas de negociação. Para a APP, o governo anunciava, há meses, o possível pagamento da dívida, mas a morosidade motivou um desgaste na imagem do governador e prejudicou também o cotidiano escolar, afinal, professores(as) e funcionários(as) tinham que interromper seus afazeres para cobrar salários atrasados e promessas não cumpridas.

A resistência e luta terão resultados visíveis logo no início do ano: o pagamento foi anunciado para cair na folha de janeiro. Neste primeiro mês serão pagos R$ 38 milhões* referentes a implementação dos avanços. A dívida restante, que se acumula desde 2015 e passa de R$ 500 milhões*, não tem data para pagamento e deverá ser parcelada durante 2017, conforme anunciado pelo governador. “O governo insiste em dizer que o caixa do Estado não tem dinheiro suficiente para cumprir com suas obrigações,  mas os estudos econômicos das contas públicas mostram que esta não é a realidade”, explica o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão, ao mencionar os estudos do Fórum das Entidades Sindicais que comprovam a existência, sim, de caixa suficiente para pagar as dívidas com os(as) servidores(as). “Mesmo que o governo tente passar a ideia de que está sendo bondoso ao pagar as promoções e progressões, a APP relembra que este é um direito garantido em Lei e que o Estado continua em débito com a educação pública paranaense”, reforça o presidente.

Rumo à data-base e ao pagamento do Piso, conforme a Lei – outras dívidas previstas em lei, defendida pelo Sindicato e pauta das últimas greves, são o pagamento do reajuste anual da inflação, a data-base e a implementação do Piso Salarial Nacional (no ano passado, a categoria deixou de receber o reajuste de 7,5%, este ano, uma nova correção está prevista pela lei nacional).  A APP continuará organizando a luta para que o funcionalismo não tenha perda real de salário com o aumento da inflação e com os descasos do governo.

*números apurados na manhã desta segunda-feira (09) com base em informações da Seed. Os valores podem ser atualizados, ainda nesta semana, de acordo com o levantamento do próprio governo.

:: Veja também Piso salarial nacional do magistério em 2017 deverá ser de R$ 2.298,80

Estudantes paranaenses não concluirão ano letivo

O governo do Estado do Paraná segue com suas ameaças e retaliações à categoria, comprometendo o aprendizado dos(as) estudantes da rede…

70 anos da APP e a festa é na rua!

Quem passar pela rua XV de novembro, no Centro de Curitiba, nesta quarta-feira (26) por volta do meio dia, poderá…

Rodrigo Maia manobra e Câmara aprova urgência para Reforma Trabalhista

Mais uma vez de forma autoritária, a Câmara dos Deputados, sob a batuta do presidente Rodrigo Maia, atropelou o regimento interno…
613Dias 13Horas 28Minutos 34Segundos

Eventos

Seminário e oficina estadual sobre assédio moral e adoecimento dos(as) trabalhadores(as) em educação

Data inicial: 26 de abril de 2017

Data final: 27 de abril de 2017

Local: a definir

A APP-Sindicato realizará neste dia um Seminário e uma oficina estadual que traz como tema principal o assédio moral e o adoecimento dos(as) trabalhadores(as) em educação. Logo em nosso site mais informações sobre esse evento.

18ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública – CNTE.

Data inicial: 17 de abril de 2017

Data final: 28 de abril de 2017

Com o tema: “Democrática e Crítica, a Educação Pública não está à venda” a CNTE – Confederação dos Trabalhadores em Educação está promovendo, entre os dias 17 e 28 de abril, um debate nas escolas, com a comunidade escolar, nos bairros, nas feras e nos comércios sobre a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista e a Terceirização. Para além, do debate sobre o Direito à Educação Pública e de Qualidade, a Lei da Mordaça e a Reforma do Ensino Médio e destaque para os temas dos(as) funcionários(as) de escola. Clique no link http://www.cnte.org.br/index.php/campanhas/18227-18-semana-nacional-em-defesa-e-promocao-da-educacao-publica-2017.html para outras informações e acesso ao material de debate.

A Assembleia Estadual da categoria também deliberou por Greve Geral no dia 28/04 –  Dia de Luto e Luta em memória dos 2 anos do Massacre do 29 de abril, com atos estadual, regionais e nos municípios juntamente com demais sindicatos, centrais sindicais e movimentos sociais. Ato com concentração no Centro Cívico, em Curitiba.

Lançamento do livro “70 anos da APP-Sindicato”.

Data: 29 de abril de 2017

Local: a definir