Ato em Curitiba marcou o Dia Internacional da Mulher

Nem mimos nem flores, elas querem ser ouvidas

Uma multidão ganhou as ruas da capital paranaense na noite desta quinta-feira (08) para reivindicar políticas públicas, promover o debate sobre a desigualdade e principalmente sobre a violência contra as mulheres. Com o tema “Mais direitos, nenhum retrocesso! Resistência e luta feminista!”, a concentração aconteceu na Praça da Mulher Nua, seguida de passeata até a Boca maldita, com realização de cinco atos ao longo do trajeto.

Enquanto caminhavam, as participantes pediam igualdade de poder e decisão entre mulheres e homens; acesso a saúde e educação de qualidade; empregos e remunerações dignas com salários iguais para homens e mulheres na mesma função e repudiavam todas as formas de violência contra as mulheres; o ódio ao gênero feminino e o feminicídio; o racismo e a discriminação devido à orientação e identidade de gênero; além de retrocessos nos direitos trabalhistas e previdenciários.

A APP-Sindicato mais uma vez marcou presença no ato em solidariedade a essa luta. “Nós ajudamos a construir esse movimento do 8 de março, data que traz toda uma simbologia de luta, de conquista e também de resistência. Nós estamos aqui gritando por mais direitos, nenhum retrocesso, por democracia e pela luta feminista”, destaca Lirani Franco, secretária da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI da APP-Sindicato. “Entendemos que a democracia é parte da vida das mulheres e para avançar em direitos e construir uma sociedade com igualdade, o princípio da democracia é fundamental porque é por aí que nós podemos avançar. Nós estamos nas escolas e salas de aulas e ao participar desse ato levamos para esses espaços a conscientização de que a nossa luta também é de organização, que as ruas são um espaço público onde podemos manifestar nossa indignação”, conclui.

O ato foi organizado pela Frente Feminista de Curitiba, composta por diversos movimentos e organizações sindicais.