• 18 de abril de 2017

APP-Sindicato pressiona deputados(as) contra reformas

Ação contou também com representantes do Fórum das Entidades Sindicais e busca conscientizar a sociedade sobre as reformas da Previdência e Trabalhista

A semana começou agitada para os(as) trabalhadores(as) da educação e dirigentes da APP-Sindicato e do Fórum das Entidades Sindicais do Paraná (FES). Pauta extensa para conscientizar a sociedade, em especial, os(as) deputados(as) federais que votarão a Reforma Trabalhista. A data prevista é para maio, porém, nos bastidores os rumores são de que parlamentares querem antecipar a votação do projeto no plenário da Câmara, solicitando urgência sobre o tema.

Os aeroportos do Paraná na segunda-feira (17) e terça-feira (18) viraram pontos centrais para as manifestações de trabalhadores(as) que vivenciam o dia a dia nas escolas. Ou seja, na teoria e na prática com experiência de anos. Vigílias de manhã até à noite, das 5h30 às 23 horas,  com faixas e distribuição de material informativo contra a Reforma da Previdência e Reforma Trabalhista nos aeroportos que atendem as cidades de Curitiba, Londrina e Maringá. Informação também aos(às) passageiros(as) sobre as reivindicações da categoria que resiste arduamente

O principal objetivo é a explanação e o diálogo com os(as) deputados(as) federais que embarcam para Brasília – Alex Canziani (PTB), Aliel Bark (REDE), Christiane Yared (PR), Fernando Francischini (SD), Luciano Ducci (PSB), Reynold Stephanes (PSD), Rubens Bueno (PPS), Sergio Souza (PMDB), Takayama (PSC) e Zeca Dirceu (PT). A maioria se posicionou contra as reformas.

Para quem acompanha os escândalos na educação vai entender a preocupação da comunidade escolar pelas imposições dos governos Federal e Estadual, aqui no Paraná, que seguem a mesma linha ditatorial – resumidamente possuem objetivos claros que colocam abaixo os direitos trabalhistas conseguidos por lutas intensas e incansáveis. Na atualidade, os fins justificam os meios para “equilibrar” o orçamento público, porém, a matemática exata não revela este cenário e quais as consequências para a educação e qualidade do ensino público.

A secretária de Finanças da APP, professora Marlei Fernandes, enfatizou a receptividade das pessoas que estavam no aeroporto e favoráveis à mobilização e contrárias às reformas. “Na segunda, conseguimos abordar seis deputados federais. Cinco dizendo que não concordam com as reformas e Rubens Bueno que disse que vai votar com o governo. Sentimos que a pressão sobre os deputados também os deixa preocupados, pois já entenderam que a maioria da população não quer a reforma”, finalizou Marlei.

Confira as escalas e aterrissagem da educação:

Segunda-feira (17)

– Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba),  Aeroporto Governador José Richa, em Londrina, e  Aeroporto  Silvio Name Júnior, em  Maringá  – panfletagem diálogo com passageiros(as) e deputados(as) sobre a Reforma Trabalhista do ponto de vista da educação e prejuízos para a sociedade em geral, com destaque para a comunidade escolar.

Terça-feira (18)

– A ação se repete no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba).

Sem interrupções, veja a programação completa da APP-Sindicato, que segue até o dia 01 de maio nesta etapa:

:: APP-Sindicato abre Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública com coletiva de imprensa

 

 

Rodrigo Maia manobra e Câmara aprova urgência para Reforma Trabalhista

Mais uma vez de forma autoritária, a Câmara dos Deputados, sob a batuta do presidente Rodrigo Maia, atropelou o regimento interno…

APP cobra deputados(as) federais: não aprovem a reforma da previdência!

1010Após a paralisação nacional dos(as) trabalhadores(as) no dia 15 de março, demonstrando total contrariedade à reforma da previdência, os(as) educadores(as)…

Secretaria revogará instrução que mudava a jornada das(os) pedagogas(os) e readaptadas(os), segundo NRE de Curitiba

Dirigentes e assessores(as) do Sindicato distribuíram um manifesto contra a proposta do governo de alterar a jornada de pedagogos(as) e…
617Dias 10Horas 37Minutos 31Segundos

Eventos

No dia 26/04, a APP-Sindicato comemora 70 anos de luta e resistência em Defesa da Escola Pública” e neste dia fará essa comemoração nas Praças Públicas e nas escolas, com panfletagem e diálogo com a população.

Seminário e oficina estadual sobre assédio moral e adoecimento dos(as) trabalhadores(as) em educação

Data inicial: 26 de abril de 2017

Data final: 27 de abril de 2017

Local: a definir

A APP-Sindicato realizará neste dia um Seminário e uma oficina estadual que traz como tema principal o assédio moral e o adoecimento dos(as) trabalhadores(as) em educação. Logo em nosso site mais informações sobre esse evento.

18ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública – CNTE.

Data inicial: 17 de abril de 2017

Data final: 28 de abril de 2017

Com o tema: “Democrática e Crítica, a Educação Pública não está à venda” a CNTE – Confederação dos Trabalhadores em Educação está promovendo, entre os dias 17 e 28 de abril, um debate nas escolas, com a comunidade escolar, nos bairros, nas feras e nos comércios sobre a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista e a Terceirização. Para além, do debate sobre o Direito à Educação Pública e de Qualidade, a Lei da Mordaça e a Reforma do Ensino Médio e destaque para os temas dos(as) funcionários(as) de escola. Clique no link http://www.cnte.org.br/index.php/campanhas/18227-18-semana-nacional-em-defesa-e-promocao-da-educacao-publica-2017.html para outras informações e acesso ao material de debate.

A Assembleia Estadual da categoria também deliberou por Greve Geral no dia 28/04 –  Dia de Luto e Luta em memória dos 2 anos do Massacre do 29 de abril, com atos estadual, regionais e nos municípios juntamente com demais sindicatos, centrais sindicais e movimentos sociais. Ato com concentração no Centro Cívico, em Curitiba.

Lançamento do livro “70 anos da APP-Sindicato”.

Data: 29 de abril de 2017

Local: a definir