APP-Sindicato participa de reunião de planejamento da CNTE em Curitiba

Lideranças estão elaborando planejamento das atividades para o próximo ano

A APP-Sindicato participa da reunião da diretoria da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), que começou nesta terça-feira (6) em Curitiba, para o planejamento das atividades de 2019. O resultado será apresentado para aprovação do Conselho Nacional de Entidades (CNE), nos dias 8 e 9.

Durante os trabalhos, os(as) integrantes deram os informes de seus estados e fizeram a análise de conjuntura, apontando uma clara compreensão daquilo que será a agenda sindical dos próximos anos.

Falas apontaram que, mesmo diante das perspectivas extremamente desafiadoras, há disposição para continuar buscando alternativas de unidade na categoria e estratégias que garantam a defesa exitosa da educação pública brasileira, nos moldes preconizados pelo patrono Paulo Freire, libertadora e emancipadora.

A avaliação é de que nos últimos anos, após o impeachment da presidenta Dilma, a categoria tem sido desafiada a lutar incansavelmente pela manutenção de direitos históricos conquistados.

Concluído o processo eleitoral que definiu o próximo governo para o país, há uma compreensão de que a Educação terá papel fundamental contra o autoritarismo e de que os(as) trabalhadores(as) terão muito mais lutas pela preservação até mesmo de direitos básicos.

Para o presidente da CNTE, Heleno Araújo, o momento é de superação para fazer a resistência e o enfrentamento às várias pautas que irão atentar contra os direitos da classe trabalhadora.

A vice-presidente, Marlei Carvalho, também falou no sentido de manter a resistência, luta e organização para enfrentar a conjuntura que está posta para o próximo período.

O professor Roberto Leão trouxe a mensagem de solidariedade da Internacional da Educação(IE), reforçando que os trabalhadores brasileiros, representados pela CNTE, têm aliados por todo o “mundoirmanados” em defesa da democracia no nosso país.

A Secretária Geral, Fátima Silva, trouxe os informes e orientações para as atividades relacionadas ao CNE e também reforçou a necessidade de adotar estratégias de fortalecimento das bases neste processo de resistência.

Com informações da CNTE.