APP-Sindicato abre Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública com coletiva de imprensa

Uma coletiva de Imprensa no centro de Curitiba marcou, aqui no Paraná, o início das mobilizações da 18ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Escola Pública, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE). A Semana Nacional tem como objetivo aproximar professores(as), funcionários(as) de escola, estudantes, pais, mães e responsáveis para trazer apontamentos e sugestões para garantir melhorias no ensino público do nosso país. A mobilização, que acontece tradicionalmente todos os anos no mês de abril, este ano tem motivos ainda maiores para levar todos e todas para a escola – e para as ruas – para discutir e protestar sobre as condições de ensino e aprendizado. Afinal, a Reforma do Ensino Médio, as mudanças na legislação trabalhista e também ameaças de cortes na aposentadoria afetam não só professores(as) e funcionários(as) de escolas, mas estudantes e familiares.

Aqui no Paraná, a tenda armada na Boca Maldita continuará instalada e será ponto de encontro e resistência durante toda a semana. Para levar os debates até escolas e também para fora delas, a APP-Sindicato organizou ações durante toda semana. De segunda (17) até o dia 1º de maio, o Sindicato promoverá, nas ruas e nas escolas, discussões salutares a vida profissional dos(as) educadores(as) e às condições e aprendizado em sala de aula. Quer participar e ajudar a melhorar a educação pública do Paraná? Veja neste cronograma como você pode fazer parte desta grande mobilização.
“Durante a Semana as escolas da redes municipais e estaduais estão sendo chamadas a fazer o debate, no interior das escolas, sobre a questão da educação e, este ano, também sobre o conjunto de medidas que afetam a classe trabalhadora. Temos um calendário de debates, sobre a Reforma da Previdência, contra as terceirizações, contra a Reforma Trabalhista e também, aqui no Estado, pela não implementação das mudanças no Ensino Médio, propostas pelo governo federal. Então estamos com um calendário intenso”, explica o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão.
Após o atendimento aos(às) jornalistas, dirigentes e assessores(as) da APP, permaneceram no local distribuindo panfletos para a população alertando sobre os motivos da mobilização. “O que está acontecendo a nível nacional impacta todos os trabalhadores. Já aqui no Paraná, temos uma situação alarmante onde o governo precisa organizar uma distribuição de aulas, precisa pagar a data-base, entre outras questões atrasadas e se recusa a abrir uma negociação efetiva com o Sindicato que representa a categoria”, denuncia o professor Hermes.