Aposentados(as) em luta pela data-base


Nessa terça-feira(29), o coletivo de aposentados da APP-Sindicato esteve mobilizado em peso na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). O grupo visitou deputados(as) para entrega de documento que lista sete dos principais itens que reforçam a luta dos(as) educadores(as) pelos seus direitos. O documento foi protocolado também no gabinete do governador Beto Richa (PSDB).

A cobrança pela data-base encabeça o ofício. Essa é a única forma de recomposição de salários para quem está aposentado. O governo do Paraná deve 8,53% e esse índice representa 7,29% da inflação de 2016, somado a 1% de aumento real previsto na lei da data-base de 2015, mais 1,10% da inflação de janeiro a maio de 2017. Valci Mattos, diretora da secretaria de Aposentados da APP, destaca que informações sobre o orçamento, publicadas pelo próprio governo, apontam que a arrecadação cresceu 5%. Se considerado o arrecadado pelo ICMS em janeiro de 2017, o crescimento atinge 13%. “Portanto, existem recursos para pagamento da integralidade da data-base”, aponta.

No documento também são cobrados Precatórios Preferenciais, Promoção e Progressão, atendimento de saúde aos(às) trabalhsdores(as), isenção de contribuição previdenciária, enquadramento para os níveis II e III da carreira e o direito à livre organização sindical.

O presidente da APP, Hermes Leão, ressalta a importância da mobilização no sentido de cobrar o cumprimento dos compromissos assumidos pelo governador Beto Richa. “É um desrespeito que os aposentados tenham seus direitos tolhidos após uma vida inteira de dedicação”.

Nessa quarta-feira os aposentados participam do ato de 30 de agosto, que rememora a violência sofrida pelos(as) educadores(as) em 1988 e protesta contra os ataques constantes que a educação do Paraná tem sofrido através do descumprimento de leis e da precarização das condições de trabalho.