Abertura do Conselho Estadual da APP tem lançamento de livro do jornalista Ricardo Gozzi

Educadores(as) que representam os Núcleos Sindicais da APP estão reunidos(as) hoje (16), na sede estadual do Sindicato, para analisar e debater as propostas da assembleia geral da categoria deste sábado (17), onde próximas mobilizações da categoria e ações de negociação sobre a pauta da educação.

Durante a primeira parte do debate, o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão, convidou o jornalista Ricardo Gozzi para apresentar aos(às) trabalhadores(as) o resultado de mais de um ano de trabalho jornalístico, o livro “Educação sob ataque – Resistência e luta dos educadores do Paraná”, publicado pela editora serpente. “Registrar a história é fundamental. Vamos levar a diante esta memória contada em livro para perpetuar a nossa luta e resistência”, comenta o presidente.

Para o autor, a obra é um retrato da covardia vivida em dois momentos históricos do Paraná. “Gostaria de agradecer à APP ao Joka (Madruga), ao Hermes (Leão) , ao Luiz Fernando (Rodrigues), à bancada de oposição, figuras muito importantes na construção dessa narrativa. O livro é uma alternativa ao que o poder vai tentar perpetuar sobre o que foram aquelas greves de 88 e 2015. Um massacre moral e físico para que seus direitos não fossem violados”,  explica Gozzi.

Sobre o processo de produção do material o jornalista comenta as dificuldades e antecipa sobre a narrativa das duas maiores greves dos(as) trabalhadores(as) da educação do Paraná. “Consegui conversar com os principais personagens do 12 de fevereiro e do 29 de abril e descobri coisas que nem imaginava. Isso acabou abrindo a oportunidade de conhecer mais sobre o 30 de agosto de 88.Quando comecei a ler o livro eu quis contar os dois lados da história. Tentei entrevistar o Beto Richa. Tentei entrevistar o Ademar Traiano. Tentei entrevistar o comando da polícia envolvido e eles simplesmente nem responderam os pedidos da entrevista. E realmente sem justificativa”.